Após a Samsung liberar unidades do Galaxy Fold para jornalistas e influenciadores, houve alguns problemas no aparelho e a empresa decidiu atrasar o lançamento do smartphone dobrável por tempo indeterminado. Nesta sexta-feira (14) foi a vez de a Huawei anunciar o atraso de seu smartphone dobrável, o Mate X.

O Mate X foi apresentado em fevereiro com pompa e circunstância durante o Mobile World Congress. Apesar de não ter sido liberado para análises mais aprofundadas, como o Galaxy Fold, a Huawei informou que deve mudar para setembro o lançamento do seu smartphone dobrável — a data prevista para lançamento era que rolaria ainda no mês de junho.

A razão para o atraso tem ligação direta com o que rolou com a Samsung. De acordo com a CNBC, um porta-voz da Huawei disse que a companhia estava mais “cautelosa” após ocorrerem os problemas com o Galaxy Fold. “Não queremos lançar um produto para destruir nossa reputação”, disse o representante da companhia, sem detalhar direito quais poderiam ser os problemas ou inconsistências no produto que fizeram a Huawei alterar o lançamento.

A ideia da Huawei é comercializar o Mate X em mercados com redes 5G operantes, e o dispositivo não deve ser nada barato, com preços na casa dos US$ 2.600, estreando um novo teto para valor de smartphone — o Galaxy Fold tinha preço sugerido na casa dos US$ 2.000.

Apesar de toda a situação da Huawei com os EUA, o sistema operacional do Mate X deve ser mesmo o Android. A companhia trabalha em um sistema próprio, mas o considera um plano B. “Não queremos usar nossos próprios sistemas; nós gostamos de nossa cooperação com o Google nos últimos anos. Se formos forçados a usar nosso sistema, estamos prontos. Podemos viabilizá-lo nos próximos 6 ou 9 meses”, afirmou o porta-voz da companhia à CNBC.

Não custa lembrar um pouco o que está rolando com a Huawei. Após a empresa ter entrado em uma “lista de entidades” do governo dos EUA, empresas do país foram proibidas de fornecer ou vender itens para a companhia chinesa.  Houve, no entanto, uma concessão até agosto que estenderá a cooperação do Google com a empresa, o que deve ajudar na manutenção e atualização do sistema Android para usuários Huawei.

Fora isso, nesta semana ficamos sabendo que a Huawei atrasou o lançamento de novos laptops Matebook, previsto para serem mostrados durante a CES Asia, por causa do banimento imposto pelos Estados Unidos.

Em abril deste ano, após se consolidar no segundo lugar, a Huawei argumentava que tinha como objetivo ser líder no ramo de smartphones ainda neste ano. No entanto, com as restrições dos Estados Unidos, isso não deve ocorrer tão cedo.

[CNBC]