O caminho para o 5G é complicado e, para chegar lá, precisaremos de uma grande quantidade de novas infraestruturas, dispositivos e atualizações. Mas parece que, em sua busca para ser a primeira, ou a melhor, ou algo assim, a operadora norte-americana AT&T está pegando uns atalhos questionáveis para fazer parecer que o 5G chegou mais cedo do que o esperado.

A operadora está planejando substituir o ícone “4G LTE” em determinados telefones Android por um ícone que diz “5G E”, embora esses dispositivos não estejam conectados a uma rede 5G real.

• O 5G já está em testes nos EUA, mas ainda falta dar uma noção real de velocidade da rede
• Finalmente conseguiram construir antenas 5G que cabem em um smartphone

Em uma descrição no site da AT&T, a empresa tenta explicar essa atualização sem sentido, dizendo: “O 5G Evolution (5G E) é o nosso primeiro passo na estrada para o 5G. Nossas melhorias já estão permitindo velocidades mais rápidas em nossa rede LTE existente.” A parte principal dessa frase é o uso de “LTE existente”, que se refere ao 4G LTE, não ao 5G.

A AT&T justifica essa mudança dizendo que seu serviço 5G E é aprimorado por recursos como 4X4 MIMO, que aumenta o número total de antenas usadas para enviar e receber dados, e 256 QAM, que é uma técnica usada para aumentar a largura de banda efetiva de um único canal ou sinal. E, embora essas coisas possibilitem entregar velocidades de dados mais rápidas, no fim das contas, isso ainda não faz com que o 5G E seja a mesma coisa que o verdadeiro 5G.

Para tornar as coisas ainda mais confusas, o 5G E é apenas um dos três diferentes marcadores 5G que a AT&T planeja usar. A operadora também pretende adotar um ícone “5G” comum e um ícone “5G +”, com este último denotando o uso de bandas de ondas milimétricas como as que a AT&T adotou em um punhado de cidades que receberam o serviço real de 5G ainda este ano.

Uma das razões pelas quais a AT&T pode fazer isso é que, em parte, o 5G é definido de maneira nebulosa, com o “G” sendo usado para denotar a evolução para redes sem fio de quinta geração. A verdadeira definição para 5G usada por mais operadoras é baseada no padrão 5G NR, que especifica o uso de uma estrutura mais avançada que inclui rádios mmWave (de onda milimétrica) e suporte para frequências expandidas para fornecer velocidades superiores a um gigabit por segundo.

Infelizmente, esta não é a primeira vez que uma operadora de celular tenta fazer de conta que sua rede é melhor do que realmente é. Anteriormente, no período que antecedeu o 4G LTE, várias operadoras, incluindo AT&T, T-Mobile e Sprint, classificaram redes usando WiMax ou HSPA+ como 4G, quando na verdade não eram. (Embora, em uma reviravolta estranha do destino, alguns desses padrões foram retificados mais tarde para se encaixar nas qualificações necessárias para atender aos padrões 4G LTE.)

Atualmente, não está claro quais telefones estarão sujeitos à mudança de ícone, mas, em um comunicado feito à FierceWireless, a AT&T disse: “Inicialmente, lançaremos isso em um punhado de dispositivos, com mais aparelhos mostrando o indicador na primavera de 2019.”

Além disso, como ainda não há um único telefone pronto para o 5G no mercado, se você começar a ver as operadoras falando sobre a atualização do seu serviço para o 5G em um telefone que você possui há algum tempo, nossa sugestão é suspeitar. Não é só porque há um ícone dizendo “5G E” que seu serviço de dados realmente teve uma melhoria.