Como tudo na vida tem seu lado bom, e seu lado ruim, com a internet não poderia ser diferente. E tem gente bem atenta a isso. O ex-presidente Barack Obama fez um alerta de como as mídias sociais estão “turbinando alguns dos piores impulsos da humanidade”.

Durante um discurso no Centro de Políticas Cibernéticas da Universidade de Stanford, Obama abordou o assunto e comentou sobre como as mídias sociais precisam melhorar e como os usuários precisam ficar atentos ao que consomem e também ao que compartilham.

Nos últimos anos principalmente, as mídias sociais foram fundamentais para a proliferação e intensificação das famosas fake news. E essas notícias atingem diversas áreas, mas vêm ganhando cada vez mais força na ciência e na política.

Obama comentou que ainda fica impressionado com a internet e afirmou “nossos cérebros não estão acostumados a receber tanta informação tão rápido”.

O ex-presidente ainda ressaltou que apesar de muitos desses conteúdos também serem de mídias tradicionais, os que acabam ganhando mais força são os das mídias sociais.

“Na verdade, alguns dos conteúdos mais ultrajantes da web vêm da mídia tradicional. Mas a mídia social acelerou o declínio dos meios de comunicação locais, permitindo que charlatães menos respeitáveis ​​preencham o vazio, de Steve Bannon a Vladimir Putin”, disse.

Mas além das críticas em relação ao tipo de conteúdo exposto, Obama ainda alertou sobre a importância de saber o que consumir na internet, ele ressaltou que sair da bolha pode ser um bom caminho para esse problema.

“Como cidadãos, temos que assumir a responsabilidade de nos tornarmos melhores consumidores de notícias. Não acertaremos tudo de uma vez, mas é assim que a democracia funciona”, afirmou.

Consequências

A desinformação e disseminação de notícias falsas pode até matar, e um bom exemplo para explicar isso são as fake news da vacina contra covid-19, que levou inúmeras pessoas a não tomarem o imunizante.

“As pessoas estão morrendo por causa da desinformação”, disse ele, exemplificando para aqueles que morreram porque acreditavam na desinformação sobre vacinas.

Ao fim, Obama ainda sugeriu como fazer melhoras nessa área, por exemplo, a atualizações na Seção 230 da Lei de Decência nas Comunicações, “uma estrutura regulatória inteligente precisa estar em vigor”, disse o ex-presidente americano.

Leia também: Brasileiros criam plataforma para detectar fake news.