Se você gosta de futebol e dá um jeito de acompanhar até quando está trabalhando, com uma transmissão em uma aba escondida, talvez tenha se deparado com alguma situação em que o atraso do streaming estraga um pouco a experiência, com as pessoas em prédios e casas ao redor comemorando algum gol antes mesmo de ele acontecer na sua tela. O problema é clássico, mas a BBC promete acabar com ele.

TV aberta é o único jeito de não ficar para trás na hora de comemorar o gol na Copa do Mundo
A Copa do Mundo em 4K vem aí, mas seus vizinhos devem gritar gol antes de você

Os pesquisadores da emissora desenvolveram um método de streaming de forma a reduzir significativamente o intervalo entre a transmissão online e a de TV. Segundo a BBC, a solução veio por meio da taxa em que você recebe os pedaços do vídeo.

Basicamente, a transmissão online ao vivo consiste em enviar aos usuários a mídia em arquivos chamados segmentos. Segmentos são separados e têm entre quatro a oito segundos de mídia cada. O tamanho dos segmentos tem bastante importância na operação: os maiores produzem bastante lag, por causa do tempo necessário para processá-los, enquanto os curtos, por outro lado, podem ser ineficazes.

Os streamings da BBC por meio do iPlayer atualmente acontecem por meio de duas tecnologias principais: HTTP Live Streaming (HLS) e Dynamic Adaptive Streaming over HTTP (DASH). Elas são feitas para usarem as redes de distribuição de conteúdo pela internet (CDNs, na sigla em inglês).

Como diminuir os segmentos implicaria na perda de qualidade, a abordagem encontrada pela BBC foi possibilitar que os segmentos passassem progressivamente por meio de uma cadeia de distribuição que não espera que eles estejam completos em cada etapa do processo. Isso significa dividir em ainda mais partições a estrutura interna de um segmento.

Esses segmentos cortados então podem ser entregues aos espectadores progressivamente, com um recurso do protocolo HTTP/1.1 chamado “Chunked Transfer Encoding”, que permite a entrega de uma parte de um segmento antes que se saiba o tamanho final do arquivo.

A BBC, no entanto, precisa encontrar também outras vias para diminuir o atraso na transmissão. Para isso, eles têm investigado como fazer isso, por exemplo, para usuários com boa internet cujos players de mídia fazem uso da buferização para garantir uma reprodução confiável, o que às vezes é desnecessário. Então, a emissora tem tentado reduzir esse atraso, ao mesmo tempo em que tenta aplicar um atraso apropriado para aqueles com internet menos potente e que precisam do delay para uma transmissão de maior qualidade.

A empresa ainda irá apresentar seus novos métodos, e, evidentemente, vai levar um bom tempo até que vejamos outras emissoras, ou a própria BBC, levando isso para o mainstream. De qualquer forma, é legal saber que tem gente trabalhando nessa questão.

[Engadget, BBC]

Imagem do topo: Reprodução