Se você faz uso de bebidas alcoólicas com frequência, aqui vai um aviso: o uso de álcool é grande fator de risco para câncer, e as  pessoas não estão necessariamente cientes. Um estudo, publicado na Lancet Oncology, estimou que mais de 700 mil casos de câncer em todo o mundo podem ser atribuídos ao álcool anualmente.

A pesquisa foi conduzida por cientistas da América do Norte, Europa e África. O objetivo é dar uma atualização das estimativas anteriores dos diagnósticos de câncer associados ao uso de álcool.

Para este estudo, os autores se concentraram em cânceres nos quais pesquisas anteriores encontraram regularmente uma forte ligação entre o uso de álcool e o risco posterior de câncer, como câncer de fígado. Mas muitas vezes leva tempo entre a exposição a algum agente cancerígeno para se tornar perceptível. Portanto, para que cálculos pudessem fornecer resultados corretos, o grupo baseou-se em estimativas do uso de álcool em todo o mundo em 2010 e assumiu um período médio de latência de 10 anos. 

Em seguida, eles usaram estimativas específicas do país de quantos casos de câncer seriam esperados em 2020 e calcularam quantos deles provavelmente seriam relacionados ao álcool, com base no nível de uso de álcool relatado há uma década e no tipo de câncer relatado. Em 2020, eles estimavam que haveria 741,3 mil novos casos de câncer causados ​​pelo álcool, respondendo por 4,1% das notificações de câncer em geral.

Destes, mais da metade ocorreram em homens. Os cânceres mais comuns relacionados ao álcool envolviam esôfago, fígado e mama. E a maior proporção de cânceres relacionados ao álcool, em relação aos casos de câncer em uma determinada área, foi encontrada no leste da Ásia, bem como na Europa Central e Oriental, enquanto a menor proporção de casos foi encontrada no norte da África. Nos EUA, 3% dos casos de câncer foram atribuídos ao álcool, ou cerca de 53 mil casos no ano passado.

Os maiores riscos para a saúde do álcool vêm do consumo excessivo de álcool. Mas muitos estudos recentes destacaram que mesmo o consumo de bebidas leves a moderadas tem seus custos, e essa nova pesquisa não é exceção. Os autores estimaram que apenas beber leve a moderado, definido aqui como um a dois drinques por dia, contribuiu para mais de 100 mil casos de câncer em 2020.

Pode parecer óbvio para muitos que o álcool não é bom para a saúde, embora alguns especialistas continuem a argumentar que os riscos do consumo de álcool não devem ser exagerados. Mas parece haver uma grande lacuna no reconhecimento de que o álcool é especificamente cancerígeno. Uma pesquisa recente com residentes no Reino Unido em 2018, por exemplo, descobriu que apenas 10% sabiam que o álcool causava câncer.

Embora o consumo de álcool tenha realmente diminuído em muitos lugares nos últimos anos, os autores do estudo argumentam que esta nova pesquisa mostra o que mais precisa ser feito para reduzir o impacto que isso está tendo em nossa saúde global.

Assine a newsletter do Gizmodo

“Nossas descobertas destacam a necessidade de políticas e intervenções eficazes para aumentar a conscientização sobre os riscos de câncer associados ao uso de álcool e diminuir o consumo geral de álcool para prevenir a carga de cânceres atribuíveis ao álcool”, escreveram os pesquisadores.