De acordo com um levantamento feito pelo SteamId, ligado ao Steam, 210.531 contas brasileiras já foram pegas pelo sistema anti-trapaça da Valve. O número faz do Brasil o 7º país com mais banimentos na história. Os dados levam em consideração contas suspensas por atividades ilegais em todos os jogos da Valve, como Counter-Strike: Global Offensive e Dota 2, por exemplo.

O Valve Anti-Cheat Ban, ou VAC Ban, é uma punição dada automaticamente pelo sistema anti-trapaça nos jogos da Valve. É importante ressaltar que o VAC Ban é eterno, ou seja, é impossível de ser removido, e ficará atrelado à conta Steam banida para sempre.

No Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO) por exemplo, o banimento acontece quando o jogador usa algum software para modificar arquivos nativos, e com isso obter uma vantagem injusta.  A utilização de aimbots (para ajudar na mira), spinbots (que permite ao jogar girar mais rápido no seu eixo e escapar de tiros) e wallhacks (atravessar paredes) são as causas mais comuns.

Quem lidera

O levantamento feito pela SteamId traz em primeiro lugar disparado a Rússia, único país a passar do 1 milhão de banidos nos jogos da desenvolvedora. Ao todo, foram 1.000.564 jogadores com as contas suspensas depois de serem pegos no Valve Anti-Cheat. O país conta com mais que o dobro de banidos por VAC do que o segundo colocado.

Os Estados Unidos aparecem em segundo lugar, com pouco mais de 458 mil banimentos. Enquanto Rússia, Estados Unidos e Brasil aparecem com uma grande quantidade de jogadores banidos, a Angola tem os menores números. Só 5.281 contas angolanas foram impedidas.

Dados apresentados pela SteamId também apontam que o ano de 2021 foi o ano com menos jogadores banidos desde 2018. No decorrer de todo o ano passado. 3.747.971 jogadores foram banidos por infringirem as regras da desenvolvedora. O número é bem menor ao de 2020 (6.834.654) e 2019 (10.641.512).