Ciência

Brasileiros criam equipamento para “conversar” e afastar percevejos de lavouras

Tecnologia desenvolvida digitaliza os sinais que os percevejos usam para se comunicar e os reproduz artificialmente para atraí-los ou afastá-los
Imagem: Cecilia Rodrigues Vieira/Embrapa

Pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) estão usando uma técnica curiosa para se livrar de pragas nas lavouras. Os cientistas usaram sinais vibratórios para “conversar” com os percevejos-praga.

A tecnologia desenvolvida digitaliza os sinais que os insetos usam para se comunicar e os reproduz artificialmente para atraí-los ou afastá-los.

Esse é um dos primeiros estudos no mundo visando a aplicação dos conhecimentos de comunicação vibracional para o manejo de percevejos na agricultura.

Assim, é possível fazer a manipulação comportamental e o controle de insetos-praga em áreas de plantio pela redução da densidade populacional.

Além disso, a tecnologia permite que os sinais sejam reproduzidos em diferentes superfícies, como o caule e as folhas das plantas. Ou outros substratos sólidos, o que possibilita sua aplicação sob condições diversas, atendendo a diferentes particularidades de controle.

“Embora a invenção do dispositivo e do método tenha sido motivada pela necessidade de manejo de percevejos, a tecnologia pode ser aplicada a uma vasta variedade de insetos”, disse em um comunicado pesquisador Raúl Alberto Laumann, membro da equipe que desenvolveu a tecnologia.

Comunicação entre percevejos

Nos percevejos, os sinais vibratórios atuam na troca de informação entre os indivíduos quando eles se encontram a distâncias moderadas (1 a 2 metros) ou curtas (poucos centímetros ou contatos físicos).

“Por meio desses sinais vibratórios, eles recebem e enviam informação a respeito do sexo do inseto que está ‘cantando’, receptividade para a cópula e distribuição espacial”, conta o cientista.

Estudos do processo de comunicação dos percevejos indicam que a diálogo entre eles se dá por meio de vibrações entre 60 e 130 hertz (Hz). Essas vibrações são produzidas pelo abdômen do insetos.

Esses tremores são transferidos para os tecidos da planta por suas patas, nas quais também se encontram os receptores sensoriais dos sinais vibratórios.

Desse modo, a utilização dessas oscilações identificadas na família Pentatomidae pode ser uma alternativa ou complemento ao uso de feromônios para serem incorporados em armadilhas de monitoramento.

Pragas na lavouras

Atualmente, os percevejos são pragas primárias das principais culturas de grãos no Brasil. Sendo que nos últimos anos sua incidência tem se estendido a outras culturas. Inclusive, com relatos de ataques severos em algodão, hortaliças e mamona, entre outras.

Os métodos de controle mais comuns baseiam-se na utilização de inseticidas sintéticos. Eles, porém estão relacionados a riscos e efeitos negativos ao meio ambiente e à saúde humana.

Assim, a possibilidade de interferir na comunicação e no comportamento sexual dos insetos e, consequentemente, no seu sucesso reprodutivo, é uma das estratégias com grande potencial para o manejo eficiente de suas populações, sem o uso de agrotóxicos.

Gabriel Andrade

Gabriel Andrade

Jornalista que cobre ciência, economia e tudo mais. Já passou por veículos como Poder360, Carta Capital e Yahoo.

fique por dentro
das novidades giz Inscreva-se agora para receber em primeira mão todas as notícias sobre tecnologia, ciência e cultura, reviews e comparativos exclusivos de produtos, além de descontos imperdíveis em ofertas exclusivas