Edwin Eugene Aldrin Jr., mais conhecido como Buzz Aldrin e famoso por ser o segundo homem a pisar na Lua, completou 89 anos de idade neste fim de semana. Para comemorar a data, o site Barstool Sports lembrou de um episódio de 2002. Na ocasião, o astronauta foi confrontado por um defensor da tese de que a ida do homem à Lua foi uma farsa e revidou ofensas com uma agressão.

Como parte da gravação de um documentário, o teórico da conspiração Bart Sibrel foi até um hotel e queria que Aldrin jurasse sobre a Bíblia que tinha ido à Lua — vale lembrar que Aldrin é ancião presbiteriano e, inclusive, fez a primeira cerimônia religiosa na Lua, ao tomar a comunhão no satélite.

As coisas ficaram tensas, o entrevistador chamou Aldrin de “covarde” e “mentiroso”, e o astronauta perdeu a cabeça e meteu um socão na cara do conspiracionista. Uau.

Aldrin, hoje, é um dos maiores defensores da ideia de uma missão tripulada para Marte. Ele até andava por aí vestindo uma camiseta com a estampa “Get your ass to Mars”, ou “leve seu traseiro para Marte”, uma frase emprestada do filme de ficção científica Total Recall. Sua participação na Campus Party de São Paulo em 2013, inclusive, foi bastante usada para advogar a favor dessa ideia. Ele prevê, porém, que isso não deve acontecer antes de 2040.

A missão Apollo 11 e a chegada do homem à Lua fazem 50 anos neste 2019. Em uma época louca, cheia das teorias da conspiração que refutam até mesmo o fato de a Terra ser redonda, ainda há quem questione este feito, apesar da fragilidade dos argumentos.

No episódio mais recente, o jogador de basquete Stephen Curry colocou em dúvida a veracidade dos fatos, levou uma chamada da própria NASA e teve que se retratar. Dessa vez, Aldrin não precisou bater em ninguém.