Os carros Model 3, da Tesla, têm uma câmera interna. Ela fica logo acima do retrovisor, perto do teto do carro. Apesar de ter sido descoberto em 2017, ainda não se sabia exatamente para que o componente seria utilizado. Elon Musk, presidente da empresa, finalmente revelou: a câmera faz parte das ambições da Tesla para competir com Uber e Lyft usando carros autônomos.

O responsável pela conta LivingTesla, uma espécie de “fan account” da montadora, publicou no Twitter que, enquanto a função da câmera não fosse esclarecida, ele deixaria a lente encoberta. O próprio Elon Musk respondeu à publicação, explicando que a câmera está lá para quando a Tesla começar a competir com Uber e Lyft.

“[A câmera] está aí para quando começarmos a competir com Uber e Lyft e os donos autorizarem que seus carros ganhem dinheiro para eles, como parte da frota compartilhada autônoma da Tesla. Caso alguém danifique seu carro, você pode checar o vídeo.”

Musk disse que, no futuro, donos dos carros elétricos poderão permitir que os veículos rodem por aí sozinhos, graças à direção autônoma, e ganhem dinheiro para eles transportando passageiros. A câmera, portanto, serviria para garantir que os usuários não baguncem o carro — e, caso façam, o dono poderia ver quem foi e cobrar o prejuízo.

Como nota o Verge, Musk também comentou em outro tuíte que o hardware dos atuais Model 3 já é suficiente para que eles sejam usados no futuro como uma frota autônoma compartilhada. O que falta, no entanto, é aprimorar o software para que os carros possam rodar sozinhos por aí e ter a autorização dos órgãos responsáveis por regulamentar os transportes.

Além disso, a câmera servirá para complementar o modo sentinela, que protege o veículo enquanto o dono não está por perto contra a ação de ladrões. O componente poderia ser usado para filmar a ação dos bandidos. Por enquanto, porém, a câmera está completamente desativada, segundo Musk.

Os planos para tornar os carros da Tesla completamente autônomos não são novos. Em 2016, ao revelar a parte dois dos planos para a companhia, Musk falou sobre compartilhamento e direção autônoma. A ideia, de acordo com o empreendedor, é fazer com que o serviço de compartilhamento ajude os donos a pagarem por seus carros, tornando-os mais acessíveis — se bem que, se muita gente comprar um Tesla e colocá-lo nas ruas para compartilhamento de caronas, seria difícil ver motivo para comprar um. Em maio de 2018, o executivo disse que a previsão é que o serviço seja lançado até o fim de 2019.

Como o Verge nota, os táxis autônomos da Waymo — companhia de carros elétricos da Alphabet, a holding que controla o Google, entre outras empresas — que rodam em Phoenix, no estado americano do Arizona, têm câmeras para fiscalizar os passageiros e avisar de objetos esquecidos no carro.

Como pesquisadores já alertaram que os carros autônomos devem ser usados para fins que, digamos, vão muito além do transporte, é bom mesmo ter uma câmera para saber se vão deixar tudo limpinho.

[Verge, Mashable]