Um dos melhores jogadores de Go do mundo decidiu se aposentar e parar de competir profissionalmente, citando como razão a inteligência artificial. Por causa dela, ele acha que não pode mais disputar de forma competitiva no game de tabuleiro.Você pode aprender mais sobre as regras do jogo visitando este link (em português).

O jogador sul-coreano Lee Sedol ganhou notoriedade internacional em março de 2016 quando ele competiu contra o AlphaGo, um sistema de inteligência artificial da Deepmind, empresa que o Google havia comprado na época. A máquina venceu quatro de cinco partidas contra Sedol, provando que a inteligência artificial é avançada o suficiente para bater humanos em um dos jogos de tabuleiro de estratégia mais complexos que existem.

Sedol não escondeu o seu senso de fracasso após a derrota. “Não sei como começar ou o que dizer hoje, mas acho que primeiramente eu deveria expressar minhas desculpas”, disse ele após a terceira partida. “Peço desculpas por não conseguir satisfazer as expectativas de muitas pessoas. Me senti impotente”.

Após a última partida, Sedol disse que iria questionar suas “crenças clássicas” e que ele teria “de estudar mais”.

Parece que a partida levou ele a um caminho existencial. A agência de notícias sul-coreana Yonhap informou que em 19 de novembro, Sedol registrou sua aposentadoria do jogo na KBA (Korea Baduk Association), o órgão que regula os competidores profissionais de Go na Coreia do Sul, finalizando sua carreira de 24 anos, dos seus 36, jogando o game.

Sedol disse que ele se aposentou, pois aceitou que nunca vai ganhar da inteligência artificial. “Com a estreia da inteligência artificial em partidas de Go, percebi que não estou no topo, mesmo que me esforce de forma frenética”, disse Lee a Yonhap. “Mesmo se eu me tornar o número um, há uma entidade que não pode ser derrotada”.

Ele acrescentou que sua decisão também foi inspirada por sua disputa com a KBA sobre como a organização usa as taxas da associação. Segundo a Yonhap, Sedol está processando a entidade por seus honorários.

O ex-jogador profissional de Go planeja comemorar sua aposentadoria no próximo mês com um jogo final contra um concorrente de inteligência artificial — o HanDol, construído pela empresa de tecnologia da Coreia do Sul NHN Entertainment. Sedol começará o jogo com uma pequena vantagem.

“Mesmo com uma vantagem de duas pedras, sinto que perderei o primeiro jogo para a HanDol”, disse à Yonhap, já um pouco desanimado com a possibilidade. “Queria jogar confortavelmente contra o HanDol, pios já me aposentei, mas farei o meu melhor”.