Se você pode imprimir uma arma em 3D… se você pode imprimir uma casa em 3D… então, você pode muito bem imprimir um pouco de carne em 3D enquanto produz isso tudo.

A startup de substitutos de carne à base de plantas Novameat revelou recentemente mais detalhes sobre o alimento que vem produzindo com sua tecnologia de impressão 3D proprietária. Conhecidas como “os maiores cortes inteiros de #carnecultivada do mundo”, nas palavras da empresa, os filés são criados a partir de uma matriz de fibra de carne que é misturada com água, gordura vegetal e proteínas vegetais, e são projetados para imitar a textura, sabor e aparência da verdadeira carne.

A notícia vem na esteira de um aporte de € 250.000 que a Novameat, sediada em Barcelona, ​​recebeu recentemente do governo espanhol, e pode representar um grande passo para o futuro da indústria de proteína vegetal sustentável.

Desde a sua fundação em 2018, a Novameat tem como objetivo criar “carne limpa” que possa ser produzida de forma sustentável, deixando de lado a ineficiente indústria pecuária. Por meio de cortes impressos em 3D, a empresa espera ajudar na redução das emissões de gases de efeito estufa e ajudar a compensar o enorme desperdício de água que ocorre durante a produção dos 346,14 milhões de toneladas de carne que os humanos consomem globalmente a cada ano.

Embora a tecnologia proprietária da Novameat consiga imitar a textura e a aparência da carne real, como a própria empresa admite, o sabor “ainda não está pronto”. Ainda assim, a empresa tem grandes planos de lançar uma série de impressoras personalizadas em 2021 que estarão disponíveis para distribuição em toda a indústria de alimentos — o que significa que um restaurante perto de você poderá em breve ser capaz de produzir deliciosos bifes à base de vegetais.

A tecnologia da Novameat recebeu recentemente um investimento significativo da New Crop Capital, que é conhecida por apoiar algumas das mais populares empresas de proteínas alternativas e de substituição de carne.

“Achamos que a cadeia de abastecimento alimentar global está quebrada e estamos focados em corrigir um desses desafios, que é a proteína animal”, disse Dan Altschuler Malek, sócio-gerente da New Crop Capital, ao TechCrunch em 2019 . “Vemos que há uma oportunidade de mudar o comportamento do consumidor para reduzir o consumo de produtos de proteína animal para produtos que estão na faixa de preço que as pessoas pagarão.”