Já abordamos aqui algumas vezes os carros elétricos da Tesla e de algumas das características destes veículos, porém dificilmente falando sobre o mercado brasileiro. Isso porque há poucas opções por aqui. Nesta quinta-feira (18), ganhamos mais uma: a Nissan anunciou no mercado brasileiro o Nissan Leaf, primeiro carro da marca totalmente elétrico no mercado nacional.

O Nissan Leaf é um carro para quem tem uma boa grana para investir. Quando digo boa grana, me refiro a R$ 195 mil (quantos Xiaomi melhor que qualquer aparelho da Apple dá para comprar, hein?). Em comparação, o BMW i3 tem preço sugerido na casa dos R$ 200 mil.

O Nissan Leaf tem um motor de 110 KW com uma potência de 149 cavalos. A bateria tem uma capacidade de 40 KWh, dando uma autonomia de 240 km — a empresa ressalta que estes valores levam em consideração um ambiente de estrada. No entanto, em um ambiente urbano, é estimado que o carro aguenta até três semanas sem precisar recarregar.

Traseira do carro elétrico Nissan Leaf

Recursos do Nissan Leaf

O discurso todo da marca durante a apresentação para jornalistas nesta quinta-feira (18) teve foco em meio ambiente e conveniência. O primeiro motivo tem relação com o fato o motorista do Leaf não precisar ir mais a um posto de gasolina, já que a carga elétrica é o suficiente para ele funcionar. No entanto, a extração dos materiais usados na bateria não é tão ecologicamente correta assim. Já o segundo tem relação com uma série de funcionalidades neste tipo de veículo — muitos deles, já incluído em modelos já lançados em outros países.

Basicamente, ele conta com vários sensores para auxiliar a condução do veículo. Talvez um dos mais interessantes é o que eles chamam de piloto automático inteligente e assistente inteligente de frenagem. O primeiro, por exemplo, pode ser bem útil para o trânsito de São Paulo. O motorista aciona o modo automático e estabelece uma velocidade. O veículo, então, vai seguindo e, caso haja uma redução, ele segue o padrão do carro à frente, mantendo uma distância segura.

Já a segunda funcionalidade usa sensores na frente do carro para evitar uma colisão com o veículo adiante. Ao notar uma redução drástica de velocidade, o Leaf emitirá avisos para o condutor frear; caso ele não o faça, o veículo freará para reduzir os danos de uma potencial colisão.

O Leaf conta ainda com alerta de ponto cego (o que deve facilita a troca de faixa, evitando colisões com motociclistas ou veículos que estejam no ponto cego do carro) e alerta inteligente de mudança de faixa (o carro detecta a faixa e faz uma correção suave, caso o veículo não esteja nela). Por fim, o carro elétrico da Nissan tem um alerta de fadiga, que verifica o rosto do motorista e o notifica caso considere que ele está cansado.

Como todos os carros elétricos, ele é automático, então ele tem apenas um acelerador e um freio. No entanto, é possível conduzi-lo apenas usando o e-pedal, que é o pedal do acelerador. Pode parecer coisa de louco, mas ao ativar este modo, a aceleração, segundo a Nissan, é feita normalmente. Para interromper o fluxo do carro, basta tirar o pé do pedal. Não vi isso funcionando, mas a empresa diz que conduzir o carro dessa forma ajuda a gastar menos o freio, que eles recomendam usar em “situações de frenagens mais bruscas”.

Interior do carro elétrico Nissan Leaf

Fora isso, o Leaf conta ainda com um conjunto de câmeras, o que facilita manobras e a visão 360, que amplia a visão ao redor do carro (inclusive, tem uma notificação que avisa sobre a presença de pessoas). Ah, e ele também é compatível com Android Auto e CarPlay, da Apple.

Carregamento

Já que o motorista não gastará dinheiro com a gasolina, ele deve gastar com energia elétrica. Isso porque tem algumas formas de ele carregar o Nissan Leaf. A primeira é na tomada de casa, o que, segundo a Nissan, pode levar de 20 a 40 horas. Outra opção é um carregador de parede — ao pagar o veículo, técnicos da Nissan podem instalar uma estação dessa na casa do consumidor, caso seja compatível –, que carrega o veículo em até 8 horas. Por fim, tem os carregadores rápidos, espalhados em algumas cidades, que pode fazer com que o Leaf seja carregado em 60 minutos.

Carregamento rápido do Nissan Leaf

Como quase toda novidade, o Leaf só está disponível para um público específico, já que é bastante caro para o brasileiro médio. De qualquer jeito, é interessante ver que cada vez mais empresas estão investindo neste tipo de veículo. Quem sabe nos próximos anos não teremos modelos mais baratos e populares?

Ficha técnica do Nissan Leaf

Motor: Tipo Elétrico (110 kw)
Potência: 149 cv @ 9.795 rpm
Torque:32,6 kgfm @ 3.283 rpm
Tipo de bateria: 40 kWh Bateria ion-lítio laminada
Suspensão Dianteira: Independente tipo McPherson com Barra estabilizadora
Suspensão Traseira:Eixo de torção com Barra Estabilizadora
Freios Dianteiros e Traseiros: disco dianteiras e traseiros ventilados
Direção: tipo elétrica com assistência variável
Comprimento: 4.480 mm
Largura: 1.790 mm
Altura: 1.565 mm
Altura livre do solo: 155 mm
Distância entre-eixos 2.700 mm
Rodas: Liga leve 17″
Pneus: 215/50 R17″
Capacidade de Passageiros:5
Emissão de CO2: 0
Porta-malas: 435 L