A agência estatal chinesa Xinhua anunciou que a agência espacial do país tem planos de aterrissar no lado mais longínquo da Lua em dois anos — algo jamais alcançado durante as explorações ao satélite da Terra.

A China está preparando uma nova nave chamada Chang’e-4 para a missão, segundo a Reuters, que fará estudos das condições geológicas da parte ainda não explorada da Lua. A Xinhua disse que o lançamento será em 2018.

O país conseguiu atingir aterrissar com sucesso na Lua com a Chang’e 3 há dois anos. Os resultados da sonda Yutu, publicados no mês passado, mostraram que a história da Lua é bem mais complexa do que parece.

A Chnag’e 4 será parecida com sua antecessora, embora o plano é de que ela carregue uma carga maior. Como sua irmã mais velha, ela foi desenvolvida para fazer um pouso suave na Lua. O estudo conduzido pela China deve prover grandes insights sobre a geologia de nosso vizinho mais próximo — especialmente, sobre aquela larga crosta que sabemos que existe em seu lado mais longínquo.

A parte mais longínqua da Lua só foi fotografada. Nunca ninguém a explorou. Se tudo der certo, isso pode mudar em breve.

[Reuters]

Imagem via AP