Os cientistas descobriram evidências de um papagaio enorme na Nova Zelândia. Antes da chegada dos humanos, as ilhas eram grandes refúgios para evolução de aves – haviam pássaros enormes, que geralmente nem voavam.

E de acordo com novas pesquisas, a Nova Zelândia pode ter sido o lar de um papagaio de 90 centímetros de altura e quase 7 quilos.

Os cientistas encontraram os fósseis – um par de tibiotarsos parcialmente preservados – em 2008. As aves têm três ossos na perna, ao contrário dos humanos, que possuem apenas dois. No caso delas, o tibiotarso é o do meio.

Embora os pesquisadores pensassem que os ossos eram de uma águia, conforme descreve o artigo publicado na Biology Letters, sua forma e proporções pareciam mais com a de um papagaio.

Porém, os ossos eram muito maiores do que o tibiotarso da maioria dos papagaios. Por isso, essa ave pode ter tido o dobro do tamanho do Kakapo, uma das maiores espécies de papagaio que existe hoje na natureza.

Figura do Heracles inexpectatus ao lado da figura de uma mulher e de outro pássaroIlustração: Paul Scofield/Canterbury Museum

Batizaram a ave de Heracles inexpectatus, em alusão à natureza inesperada da descoberta, bem como o tamanho avantajado dele.

Esses mesmos cientistas já tinham batizado gênero de papagaios extintos como Nelepsittacus (em homenagem a Neleu, da mitologia grega), que está intimamente relacionado a outro gênero de aves batizados em homenagem a Nestor, filho de Neleu. No mito grego, Héracles matou Neleu e todos os seus filhos, com exceção de Nestor.

Estes fósseis foram encontrados em Central Otago, na Ilha do Sul da Nova Zelândia, entre a fauna de Saint Bathans.

Ossos grandes são raros nesse local, mas já foram encontrados fósseis de moas, uma águia gigante e de outros papagaios. Os dois ossos das pernas foram encontrados em uma rocha com idade entre 16 milhões e 19 milhões de anos.

Martin Stervander, pós-doutorando na Universidade de Oregon, achou o estudo convincente. “Para alguém de fora, a ciência da osteologia pode parecer um jogo de adivinhação, mas estes autores são especialistas e explicaram sistematicamente a forma de cristas e depressões sobre os ossos”, disse ao Gizmodo em um e-mail.

“Ao comparar essas características com numerosos ossos de duas vastas coleções de museus, eles conseguem apontar semelhanças e diferenças em relação às principais linhagens de aves. Os dois ossos incluem seis características únicas que só os papagaios têm, que determina a identificação.”

Há limitações, é claro. É difícil determinar onde essa ave apareceria na árvore genealógica dos papagaios, ainda mais com informações vindas de apenas um par de ossos da perna.

Mas a pesquisa ajuda a solidificar a ideia de que grandes ilhas sem predadores mamíferos foram capazes de produzir uma vida selvagem bastante estranha, o que inclui as famosas aves enormes da Nova Zelândia.