Uma equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia em Berkeley (EUA) criou o primeiro par de fones de ouvido baseados em grafeno. E não deve ser surpresa descobrir que eles são absolutamente incríveis.

De fato, em seu estado bruto, uma única lâmina de grafeno – sem ajustes especiais em suas propriedades – fornece uma resposta de frequência comparável a um par de fones de ouvido Sennheiser. Isso é muito bom.

Mas afinal, o que é grafeno? É o material do futuro: ele é 300 vezes mais forte que o metal, e ao mesmo tempo é o material mais leve do mundo. Além disso, ele é bastante flexível e conduz eletricidade muito bem.

Fones de ouvido possuem um diafragma, a parte que vibra para produzir ondas sonoras. O diafragma de grafeno feito pelos pesquisadores tem 7 mm de diâmetro, mas apenas 30 nanômetros de espessura: ou seja, eles são insanamente finos e leves. (Trívia: um único grama de grafeno poderia cobrir vários campos de futebol.) Essa fina lâmina é colocada entre dois eletrodos de dióxido de silício, o que lhe permite produzir o som.

Mas como ele se sai contra fones de ouvido caros, mesmo em sua primeira iteração? Simples: apesar de ser extremamente leve, ela também é incrivelmente forte. Uma centena de vezes mais forte que o aço, na verdade. Assim, enquanto diafragmas comuns precisam ser amortecidos para que não se desfaçam em pedaços – o que afeta a sua fidelidade de áudio – a versão de grafeno pode emitir sons sem precisar de ajustes.

Vale lembrar que estes fones de ouvido não são otimizados – estão num estágio inicial – e ainda assim se equiparam aos caros fones comerciais. No futuro, após ajustar o tamanho do diafragma, sua espessura, e outros parâmetros físicos, os caras de Berkeley podem nos trazer sons com nitidez incrível. Só não pergunte o preço – ainda. [arXiv via Extreme Tech]