Uma equipe de cientistas afirma ter desenvolvido técnicas que permitem ler sonhos através de escaneamento cerebral. Isto poderia nos ajudar a compreender melhor o que se passa no cérebro enquanto dormimos.

A equipe de pesquisadores, dos Laboratórios ATR de Neurociência Computacional em Kyoto, Japão, realizou exames de ressonância magnética enquanto as pessoas entravam nos estágios iniciais do sono.



Logo após os participantes adormecerem, eles eram despertados e perguntava-se a eles o que viram. Cada imagem mencionada – de chaves a estátuas de bronze – foi registrada, e todo o processo repetido 200 vezes para cada participante.

Cada imagem é relacionada com a atividade do cérebro. Isso dá aos cientistas um banco de imagens, que podem ser agrupadas em categorias visuais semelhantes. Por exemplo, carros, caminhões e ônibus entram na categoria de veículos.

A partir daí, os cientistas foram capazes de analisar a atividade cerebral enquanto os participantes dormiam, para então tentar prever o que eles estavam sonhando. Os resultados, publicados na revista Science, mostram que os pesquisadores conseguiram prever o conteúdo dos sonhos com 60% de precisão, pelo menos nas categorias mais amplas. Não é perfeito, mas bem impressionante.

O professor Yukiyasu Kamitani, um dos pesquisadores do estudo, explica à BBC:

“Nós conseguimos revelar o conteúdo dos sonhos a partir da atividade cerebral durante o sono, que era consistente com os relatos verbais dos participantes. Eu tinha uma forte crença de que a decodificação de sonhos deveria ser possível, pelo menos para alguns aspectos particulares do sonho… Eu não fiquei muito surpreso pelos resultados, e sim animado.”

Mas este é apenas o começo. Afinal, por enquanto os cientistas só consideraram o sono leve. Agora, eles estão particularmente interessados ​​em estudar sonhos mais intensos que ocorrem durante o sono profundo. Próxima parada, Inception. [Science via BBC]