A Polícia Federal da Argentina descobriu recentemente uma cápsula do tempo da maldade, escondida dentro de uma casa perto de Buenos Aires. Aproximadamente 75 artefatos nazistas, incluindo de tudo um pouco como uma faca enorme, dispositivos médicos e um negativo de uma foto de Adolph Hitler, foram descobertos em uma sala secreta. A polícia está investigando quando e como os itens chegaram no país sul-americano.

• Uma pintura de 118 anos foi encontrada na Antártica escondida por cocô de pinguim
• Centro secreto de armas nazistas é descoberto perto de campo de concentração

Como o Haaretz noticia, agentes da Interpol invadiram a casa no dia 8 de junho. O dono da residência não teve o nome revelado. Alguns trabalhos de arte de “origem ilícita” foram descobertos no norte de Buenos Aires, levando a polícia até essa casa. O dono continua livre e não está claro se ele será acusado de quaisquer crimes.

Os investigadores procuraram especialistas no Holocausto para saber mais sobre a possível origem desses artefatos nazistas, mas membros da comunidade Judaica na Argentina acreditam que eles devem ter sido trazido para o país por autoridades nazistas depois da Segunda Guerra Mundial.

Havia algumas especulações iniciais sobre a possibilidade dos itens serem reproduções, mas os investigadores acreditam que se tratam de objetos originais. Mas obviamente ainda existem diversas questões rondando a origem e como tudo isso foi parar na Argentina.

“Nossas primeiras investigações indicam que essas são peças originais”, disse a Ministra de Segurança Argentina, Patricia Bullrich, à Associated Press.

A descoberta é a maior desse gênero na Argentina, um país que talvez tenha o que pode ser descrito como uma relação infeliz com o Holocausto. Depois da Segunda Guerra Mundial, diversos oficiais nazistas importantes fugiram para o país, incluindo Adolf Eichmann e Josef Mengele.

Eichmann foi descoberto em Buenos Airess por caçador de nazistas em 1960. Ele foi levado para Israel, julgado e enforcado em 1962. Mengele escapou da Argentina, fugindo para o Paraguai e morreu depois no Brasil. Não é sabido ainda se algum dos itens encontrados pertenciam a Eichmann, Mengele ou qualquer outro nazista que fugiu da Alemanha.

Uma razão pela qual as autoridades de Buenos Aires possui certo nível de certeza sobre a originalidade dos itens, é que alguns deles estão registrados em fotografias com líderes nazistas. Por exemplo, um item da coleção é uma lente de aumento. A mesma lente de aumento é vista em um negativo de foto de uma coleção que mostra o próprio Hitler. Os investigadores mostraram a foto para a Associated Press com a condição de que ela não seria publicada.

“Essa é uma maneira de comercializá-las, mostrando que foram utilizados para o horror, pelo Fuhrer. Existem fotos dele com os objetos”, disso Bullrich.

Alguns dos itens mais perturbadores da coleção são os dispositivos médicos, incluindo itens utilizados para medir o tamanho da cabeça humana. Cientistas nazistas viajaram o mundo na década de 1930 medindo a cabeça das pessoas, acreditando na pseudociência de que raças superiores poderiam ser determinadas por meio de características faciais.

A coleção também inclui brinquedos nazistas e outras coisas que atingiram a juventude da época, como coleções de harmônicas com ilustrações de adolescentes segurando bandeiras nazistas.

“Não existem precedentes para uma descoberta como essa”, disse Nestor Roncaglia, chefe da Polícia Federal da Argentina, à Associated Press. “Peças geralmente são roubadas ou são imitações. Mas essas são originais e precisamos descobrir a origem”.

[Associated Press e Haaretz]