O rover Perseverance, da NASA, é equipado com dois microfones, que estão sendo utilizados para gravar os sons de Marte. Os dispositivos permitem aos cientistas ouvir as rajadas de vento do planeta vermelho e também os barulhos envolvidos na movimentação do pequeno robô. 

No domingo (1), foi publicada na revista Nature uma análise dos sons capturados pelo rover. As ondas sonoras viajam pela atmosfera extremamente fina de Marte, e seu estudo pode ajudar cientistas a observarem mudanças sutis de pressão de ar no planeta. Ouça neste link do YouTube:

Ao final, os pesquisadores perceberam que a velocidade do som em Marte é mais lenta do que na Terra. Por aqui, os sons viajam a 343 metros por segundo, enquanto a média no planeta vermelho é de 240 metros por segundo

Não para por aí. Os cientistas também confirmaram a hipótese de que sons agudos são difíceis de serem ouvidos em Marte. Aqui na Terra, gritos, por exemplo, podem ser ouvidos a 65 metros de distância. Em Marte, a distância se limita a 8 metros.

Os cientistas ficaram impressionados com o silêncio de Marte. Em alguns momentos, chegaram a suspeitar que os microfones estavam quebrados, mas esse é apenas um efeito da baixa pressão atmosférica do planeta. Essa pressão parece mudar de acordo com a troca de estações, o que significa que, em breve, Marte poderá ficar um pouco mais barulhento.

Os sons capturados pelo Perseverance podem ajudar os pesquisadores a identificarem problemas no próprio rover. Por enquanto, não foram notadas alterações, mas os sons de rodas e outros sistemas internos podem acender um alerta vermelho sobre a saúde do robô.