Deixando de lado o balde de água fria em quem já tem um Windows Phone, as novidades do Apollo, codinome do Windows Phone 8 são bem interessantes. E uma tem potencial para fazer bastante sucesso no Brasil: mapas. Antes exclusivos da linha Lumia, agora os mapas da Nokia serão integrados e serão a base do sistema operacional.

Larry Lieberman, da Microsoft, disse durante a apresentação do sistema que:

“O Nokia Maps será o combustível primário da experiência de mapas no dispositivo. Ele estará disponível aos desenvolvedores como um controle para acrescentar às suas aplicações.”

O que vem no pacote? Os preciosos dados globais da Nokia/NAVTEQ, suporte a mapas offline, navegação curva-a-curva em tempo real e o acesso a desenvolvedores citado por Lieberman.

É um negocião para quem vive em regiões bem atendidas pelas soluções de mapas da Nokia, como o Brasil. Esse anúncio dá uma dinâmica nova à guerra travada por Microsoft, Apple e Google; em poucas semanas os contornos ficaram bem delineados e, nessa, a Apple está em maior desvantagem no momento.

Ninguém sabe se seu Mapas do iOS 6 usará a base de dados da TomTom ou se será, de fato, bom fora dos EUA. Enquanto isso, a Microsoft melhora consideravelmente os mapas do Windows Phone com a expertise consolidada da Nokia e o Google… bem, o Google dispensa comentários.

Ainda não se sabe como exatamente será a integração dos mapas da Nokia ao Windows Phone 8, mas Lieberman informou que “ficará bem claro aos usuários” que se trata de um recurso dos finlandeses. É esperar pra ver. [The Verge]