Aqui vai algo nojento: me deram o maior Cheeto do mundo. Então é claro que eu teria de comê-lo sobre a Optimus Maximus keyboard, então não tente fazer isso em casa.

Por eu ser o cara mais sem-noção e sem vergonha da equipe do Gizmodo, eu fui a primeira pessoa a ter a idéia quando ofereceram ao Rothman a chance de ter o "Maior Cheeto do mundo." Esse objeto único é mais uma bóia que um salgadinho, com o meio completamente sem a cobertura de queijo. O gosto é completamente igual ao de espuma, sério.

Mas eu perseverei. E foi horrível. Eu nunca comerei Cheetos de novo. Mas ah, quem sou eu para negar um desafio dessa magnitude?

E putz, desculpa arruinar o seu teclado, Art Lebedev. Foi em nome da ciência.