Peça a um ator para interpretar um açougueiro e o que você verá na tela será um açougueiro, cortando pedaços de carne como se tivesse feito aquilo a vida toda.

Mas coloque um açougueiro de verdade na frente da câmera pra ver o que acontece: um mau ator.

Bons atores têm a capacidade de realizar tarefas que não são familiares para eles de modo crível e natural.

Exceto quando eles têm que jogar videogame.

Já vimos isso milhares de vezes. Você dá um controle para um ator e diz que ele está jogando, sei lá, Quest 64. Em um minuto ele vai estar lá, tenso, mordendo o lábio inferior com a intensidade e virando o controle pra lá e pra cá como se fosse um volante de Mario Kart Wii. Isso é um absurdo, obviamente, já que uma interpretação mais correta de um jogador de Quest 64 envolveria virar mesas e socar paredes em um espetáculo de palavrões (eu que sei).

Por quê? Por que atores se transformam em retardados epiléticos quando fingem jogar videogame?

The Big Bang Theory é uma comédia sobre os extremos da cultura geek e gamer, algo que a TV estava devendo há anos. No entanto os personagens, que tão bem representam o que há de mais constrangedor no estilo de vida nerd antisocial, parecem ter grande dificuldade em fingir jogar videogame. Um bom exemplo é o episódio em que a turma se reúne para jogar Halo 3, cada um apertando qualquer um dos botões do controle do Xbox o mais rápido possível até que um deles se levanta e grita sua vitória, dizendo algo como "Tomem essa, otários!" Mas não é assim que se joga Halo, nem de longe. Se você gravasse quatro pessoas normais jogando Halo 3 e comparasse com a atuação que vimos, o resultado seria como comparar noite e dia.

Alguns podem dizer que isso se dá porque os atores não são familiarizados com videogames e por isso não têm certeza de como interpretar um "gamer". Mas isso é o que os atores são pagos para fazer. O seu emprego consiste em se tornar uma pessoa diferente e simular com precisão os seus costumes e hábitos. Eu tenho certeza que grande parte da audiência de TBBT é composta por gamers, e que mostrar a eles uma representação tão pobre de quem eles são é quase… um insulto.

Ok, talvez não um insulto. Mas certamente uma decepção, visto que TBBT certamente não é o primeiro seriado ou filme a representar os gamers como um bando de maníacos gritando e espancando controles aleatoriamente. Talvez não seja uma ideia tão absurda dar os jogos para os atores testarem antes de representar o personagem, como forma de pesquisa. Videogame é algo tão populares hoje em dia que os gamers merecem esse nível de autenticidade.

Propagandas de videogame são ainda mais erradas. Fingir que está jogando na frente de uma TV desligada sem exagerar na atuação é certamente difícil, mas eu já tive a oportunidade de vivenciar o oposto, e vi que também é bem difícil.

Eu fiz uma série de comerciais para o jogo Rayman Raving Rabbids TV Party, e foi um dos raros casos em que eu e os meus colegas de atuação estávamos de fato jogando os mini-games durante cada cena. Nossos controles estavam ligados, o jogo estava rodando, e um representante da Ubisoft preparava as fases antes de cada tomada.

Isso não deveria ser contado como "fingir que se está jogando", já que nós estávamos realmente jogando, certo?

ERRADO. Eu estava curtindo tanto o jogo e tentando vencer os meus colegas que eu me concentrei demais, e não estava empolgada o suficiente. Eu ouvia: "Pula mais!" e "Balança mais os braços!"

O diretor, veja você, não estava nem aí se eu estava parecendo ou não com uma gamer de verdade. O que ele queria é que eu demonstrasse que aquele era o momento mais incrivelmente empolgante da minha vida adulta.

Lisa Foiles é conhecida por ser a estrela da comédia "All That", da Nickelodeon. Atualmente ela trabalha como designer e escreve para o Save Point, o seu site de games. Para mais informações, visite o site oficial da Lisa.