O cometa mais brilhante do ano estará em seu ponto mais próximo da Terra neste final de semana — e você poderá vê-lo a olho nu.

O 46P/Wirtanen é uma mancha verde difusa que orbita a Terra a cada cinco anos e meio. Ele leva esse nome por causa de seu descobridor, o astrônomo americano Carl A. Wirtanen. Ele esteve no ponto mais próximo ao Sol na quarta-feira, e deve se aproximar da Terra neste domingo. A distância para nosso planeta deverá ser de 11,5 milhões de quilômetros e não trará nenhum transtorno às nossas vidas nem aos nossos equipamentos, apenas um pouco mais de beleza para o céu.

• O arquivo de imagens da sonda Rosetta está completo e é totalmente gratuito

Cometas são aglomerações pequenas de gelo, poeira e rochas. Eles contêm comas, nome dado às névoas causadas pela colisão das partículas solares com o núcleo. Cientistas geralmente consideram que cometas e asteroides têm origens diferentes, mas há exceções que têm aspecto de asteroides e orbitam como cometas, os chamados objetos Manx.

O 46P/Wirtanen tem aparência verde porque suas móleculas de cianogênio e carbono diatômico foram ionizadas pelo Sol, diz um comunicado da Agência Espacial Europeia. O cometa brilhante era o alvo inicial da sonda Rosetta, mas, por causa de um atraso no lançamento em 2003, a equipe acabou escolhendo o 67P/Churyumov­–Gerasimenko no lugar dele.

Os cientistas aproveitarão a aproximação para estudar este cometa — claro, sem ser de maneira tão detalhada quanto o 67P — e seus dados serão acrescentados aos registros.

Vai ser possível, também, ver o 46P/Wirtanen a olho nu. “Ele vai estar visível perto da constelação do Touro, que não fica muito longe de Órion, que tem as Três Marias. Touro tem as Plêiades, aglomerado de estrelas que algumas pessoas conhecem, e Aldebaran, que é uma estrela laranja”, diz Eduardo Arnauld Cypriano, professor do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP, em entrevista à Rádio USP. “Vai dar para ver não tanto no começo da noite, mas algumas horas depois do Sol se pôr, se você olhar a leste e um pouco ao norte.”

O astrônomo também ressalta que é melhor estar em algum lugar com pouca luminosidade — portanto, as grandes cidades não são a opção ideal para observar o cometa. O site Apolo 11 e o jornal El País também trazem cartas para entender melhor por onde o 46P/Wirtanen passará.

Se você não estiver conseguindo ver o cometa, o Virtual Telescope Project fará transmissão ao vivo da passagem. Mas vale a pena tentar ver: além do 46P, também estamos em época de chuvas de meteoros Geminidas, e elas devem continuar ao longo do fim de semana.

[Rádio USP, G1/BBC]