Lo-fi é um gênero musical que estourou durante a pandemia e, enquanto você lê este texto, está no ouvido de milhares de pessoas ao redor do mundo — literalmente. Mas, afinal, o que é esse estilo, e como ele se tornou a trilha sonora perfeita para estudar, relaxar, trabalhar e outras tantas atividades?

Recomendamos que você ouça isto aqui enquanto lê o artigo. Só pra melhorar a imersão.

O que é Lo-fi?

A palavra é uma abreviação de low-fidelity (baixa fidelidade), com músicas feitas de forma despretensiosa, que mesclam ruídos de videocassetes, som ambiente ambiente, chuva, etc. O lo-fi apresenta traços mais caseiros, amadores ou, se preferir DIY (faça você mesmo).

É difícil definir qual foi sua origem. Possivelmente, o gênero bebeu de diversos estilos — como o rock, new wave, psicodélico, indie e, claro, das batidas do rap/hip-hop.

O lo-fi estourou na internet pra valer em 2013, com a criação do Chillhop Music, canal no YouTube dedicado à essa temática. Por se tratar de um conteúdo autoral, que não tem grandes gravadoras por trás, a plataforma de vídeo se tornou o maior nicho para ouvintes desse estilo — mas aparece também em outros serviços de streaming como o Spotify.

O lo-fi tem beats mais lentos, presença de instrumentos como baixo, piano, violão e até guitarra. Segundo o artigo “Fluxos sonoros-sensoriais no lo-fi hip hop“, do doutorando Sidarta Landarini da UFRJ, o ritmo tem as seguintes características.

  1. Ruído de “baixa qualidade”, de vinil, chuva, mar, papel amassando, vento, rádio sintonizando
  2. Espírito DIY.
  3. Grande inspiração no hip-hop
    a) A construção dos Beats (desacelerados)
    b) Presença dos samples, podendo ser de Jazz, Bossa Nova e música instrumental
    c) Técnicas de produção, como Scratching (a técnica de arranhar o vinil), Punch (quando abaixam o volume de um instrumento e volta para causar um “impacto”) e Looping (repetição).

Por que as pessoas escutam?

A audiência é atraída pela mistura de som ambiente com batidas marcantes e, geralmente, ausência de vocal. Tudo isso é perfeito para aquelas atividades que casam bem com um som de fundo, mas que exigem sua concentração a ponto de te impedir de prestar atenção em uma letra. Assim, o som se tornou a pedida para quem precisa se concentrar no trabalho, estudo — e até na transa, por que não.

A pandemia e as atividades remotas impulsionaram a busca por esse tipo de música. Com o isolamento e as pessoas passando mais horas trancadas em casa, surgiram a perda de foco, desânimo, ansiedade e outros sintomas. É aí que o lo-fi entra.

As músicas carregam um ar bucólico, melancólico, relaxante e até nostálgico para os ouvintes, mas sem fazer com que a pessoa durma durante a tarefa. Outro fator é que, pelo fato de as playlists terem diversas horas (há muitas rádios ao vivo) e soarem como música de fundo, o usuário não precisa ficar usando o tempo para criar a lista e selecionar quais músicas escutar. É só clicar e focar nos afazeres.

Outra ferramenta importante é a interação com outras pessoas. Canais de lo-fi no YouTube costumam oferecer chat durante as lives, onde os usuários, além de apreciar o som ,interagem entre si e criam uma comunidade, tentando de alguma forma lidar com o isolamento.

É possível achar lo-fi para programar, dormir, relaxar, ler e até fazer sexo.

“Pode copiar, mas não faz igual”. Imagem: Studio Ghibli / Santo Puppy

Além do som, o gênero ficou reconhecido pela imagem de uma garota que está estudando no conforto do quarto — desenho que estampa uma série de playlists de lo-fi por aí. A inspiração surgiu no filme Sussurros do Coração, em que a protagonista trabalha para escrever seu primeiro livro. Sua rotina de dedicação acabou se tornando inspiração para milhares de pessoas que precisam se concentrar para entregar seus estudos e trabalhos.

Quais canais seguir?

Para os que querem entrar de cabeça (ou de ouvido) no lo-fi, separamos abaixo alguns canais. As dicas vão desde opções de batidinhas mais relaxantes, até as agitadas e com toque brasileiro.

Lofi Girl

Antes chamado de ChilledCow, o canal foi fundado em 2015 e é um dos maiores do gênero (com 9 milhões de inscritos). Foi quem primeiro trouxe essa imagem da garota estudando ao conhecimento do grande público. O canal chegou a usar imagem da personagem do filme, mas, por questões de direitos autorais, acabou precisando trocar.

A live com músicas para estudar e relaxar é uma das mais longas da plataforma: são nada menos que 13 mil horas de conteúdo, e mais de 218 milhões de views (e contando).

Chillhop Music

Se você cansou de ver a menina estudando, você pode acompanhar a rotina tranquila do guaxinim do Chillhop Music, outro canal que está entre os pioneiros na criação desse tipo de conteúdo no YouTube.

A preferência, aqui, é por canções que misturam elementos de jazz, hip-hop. Há diversas playlists temáticas — como caminhada e leitura, e até sazonais, como as tématicas de outono e primavera.

College Music

Com mais de 1 milhão de seguidores no YouTube, o nome surgiu com um pequeno grupo de amigos na faculdade que estava em busca de uma música que tivesse originalidade e não se adequasse ao “pop” genérico.

O canal faz uma curadoria e apresenta artistas poucos conhecidos e independentes para os que procuram algo a mais no lo-fi.

Assine a newsletter do Gizmodo

Tangerina Music

O canal é brasileiro e lançou o primeiro álbum de lo-fi 100% brazuca. A coletânea “Chill Brazilian Storm” reuniu 18 produtores de sete estados (segundo o jornal O Globo).

Para quem ficou interessado, o canal criou, inclusive, um documentário sobre o cenário brasileiro do estilo é só clicar aqui para assistir de graça.

Existe também uma versão que mixa o lo-fi com clássicos da MPB, bossa nova e samba. Você pode conferir aqui. O destaque fica para versão brasileira da garota do lo-fi — com um cão caramelo, bichinho da Parmalat e um calendário de Nossa Senhora na cena. Nada mais Brasil.