Há diversos estudos que mostram os efeitos do álcool no cérebro. Alguns deles chegam a sugerir que o consumo da bebida leva a uma perda no volume cerebral, mas não foram levados a sério devido a dados contraditórios ou participação pequena nos estudos. 

Pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, resolveram tirar a história a limpo. Para isso, analisaram ressonâncias magnéticas e formulários sobre consumo de álcool de 36.678 pacientes. 

Os dados foram retirados de um banco britânico. Os voluntários eram pessoas de meia idade ou idosos considerados consumidores de álcool crônicos – que ingerem três ou mais latas/taças de álcool por dia.

Por ser um estudo em larga escala, os pesquisadores puderam considerar ainda fatores como tamanho da cabeça, sexo, idade, altura, tabagismo, status socioeconômico, entre outras variáveis. 

Ao final, os cientistas perceberam uma relação entre o consumo de álcool e a diminuição do volume cerebral e da massa cinzenta. O estudo completo foi publicado na revista científica Nature Communications.

Efeitos do álcool

De acordo com os pesquisadores, bastam uma ou duas unidades de álcool por dia para que o efeito apareça. A fins de comparação, duas unidades de álcool são como uma lata de cerveja ou uma taça de vinho.

Os cientistas compararam a perda de volume cerebral àquela natural que acontece com a idade. De acordo com o estudo, beber meia lata de cerveja todos os dias (uma unidade de álcool) levaria a uma diminuição do órgão similar à que ocorre com seis meses de envelhecimento.

Esse aumento não é gradual. Beber uma lata de cerveja inteira ou uma taça de vinho (duas unidades diárias de álcool) equivale a dois anos de envelhecimento. Ao dobrar a bebida, o envelhecimento vai para 10 anos. 

Henry Kranzler, um dos autores do estudo, disse em comunicado que as descobertas vão contra diretrizes científicas e governamentais sobre limites seguros do consumo de álcool. 

“Por exemplo, embora se recomende que as mulheres consumam em média não mais do que uma bebida por dia, o limite recomendado para os homens é o dobro disso, uma quantidade que excede o nível de consumo associado no estudo com a diminuição do volume cerebral”, explicou.

O estudo traz algumas limitações. Ele considera apenas pessoas que ingerem bebida alcoólica diariamente. Ou seja, não há dados sobre não beber em dias úteis e depois tomar várias latinhas no final de semana. 

O trabalho também aponta para uma correlação, e não causalidade. O álcool está associada à diminuição do volume do cérebro, mas não é possível afirmar que a bebida é a causadora do problema. São necessários mais estudos para trazer a confirmação.