Pesquisadores da Universidade do Sul da Flórida, nos EUA, encontraram uma nova função para o café: aumentar a venda em lojas de varejo. À primeira vista, a relação entre a bebida e as compras parece não fazer o menor sentido, mas há uma explicação científica por trás dessa história. 

Vamos a ela: a cafeína libera dopamina no cérebro, atuando como um poderoso estimulante para a mente e o corpo. Isso leva a um estado energético mais alto e, consequentemente, aumenta a impulsividade e diminui o autocontrole.

Para testar na prática, os cientistas instalaram máquinas de café expresso na entrada de lojas na França e Espanha. Mais de 300 compradores receberam uma xícara da bebida com 100 mg de cafeína, enquanto os outros visitantes tinham direito a água ou café descafeinado.

Ao sair da loja, os compradores tinham que mostrar seus recibos. Não deu outra: aqueles que receberam a bebida com cafeína gastavam cerca de 50% a mais de dinheiro e compravam quase 30% mais itens do que o grupo que bebeu água ou descafeinado. Além disso, pessoas que tomavam o café com cafeína tendiam a comprar mais itens considerados não essenciais, como velas perfumadas e fragrâncias. 

Em um segundo teste, os cientistas pediram para 200 voluntários que bebiam café com ou sem cafeína escolherem itens que eles comprariam dentro de uma lista com 66 opções. Os bebedores de cafeína tiveram escolhas mais impulsivas, como um massageador, enquanto aqueles que não consumiam o composto optaram por itens práticos, como um caderno. O estudo completo foi publicado na revista científica Journal of Marketing (JM).

Moral da história? Na próxima vez que você sair para fazer compras, deixe o café para o final do passeio. Seu bolso agradece.