Chegou a vez da princesa do pop contar sua versão dos fatos!

Após diversas polêmicas –antigas e recentes– envolvendo vida pessoal e carreira, Britney Spears, 40 anos, fechou um acordo milionário com a editora Simon & Schuster para a publicação de um livro de memórias. 

O livro bomba deve trazer o ponto de vista de Britney sobre a ascensão à fama, a carreira musical e a relação com a família, principalmente com o pai, Jamie. Detalhes sobre o acordo não foram revelados, mas segundo a revista Variety, uma fonte da família informou que é um “contrato recordista”.

Segundo a coluna Page Six, do jornal The New York Post, Britney receberá US$ 15 milhões (cerca de R$ 76 milhões) pela obra. Esse é considerado um dos “maiores acordos de todos os tempos, atrás dos Obama”, segundo descrição. 

Em 2017, o casal Barack e Michelle vendeu os direitos de seus livros por aproximadamente 60 milhões de dólares —mais de R$ 305 milhões, na cotação do dólar atual.

De acordo com fontes da Variety, o livro deverá abordar a carreira de Britney, seu relacionamento com a família e, é claro, a tutela da qual ela se libertou em novembro do ano passado. 

Ainda sem data ou título definido, a autobiografia marcará a primeira vez (fora das redes sociais) em que Britney poderá falar abertamente sobre o período que passou sob uma tutela judicial administrada pelo pai, Jamie Spears, sistema sob o qual a cantora viveu por 13 anos.

“Bom Deus, eu amo tanto os meus fãs, é uma coisa louca!!! Eu acho que vou chorar pelo resto do dia. Melhor dia de todos… Louvado seja o Senhor… Posso ganhar um amém?”, escreveu Britney no Twitter após a decisão.

A tutela judicial em questão foi estabelecida em 2008, após internação de Britney em clínica de reabilitação por problemas psicológicos. O processo foi encerrado em 12 de novembro, após a juíza Brenda Penny concordar com o fim do controle sobre a vida, carreira e finanças da cantora pop.

Em janeiro, a irmã de Britney Spears, Jamie Lynn, lançou o livro “Things I Should Have Said” (“Coisas que Eu Deveria Ter Dito”, em tradução livre), em que dava, sob a própria ótica, muitos detalhes das relações da família. A obra também aborda a disputa judicial da tutela e a relação entre as irmãs. 

Em uma publicação feita no perfil oficial no Instagram –já apagada–, Britney detonou a iniciativa da irmã e a acusou de espalhar mentiras sobre a sua vida.

“Parabéns, campeã de vendas…. A sua coragem em vender um livro e malar m*rda, mas você está mentindo… Queria você fizesse um teste com um detector de mentiras para que todas essas pessoas vissem que você está mentindo na cara dura sobre mim! Queria que o Deus todo poderoso viesse e mostrasse ao mundo que você está mentindo e ganhando dinheiro às minhas custas! Você é um lixo, Jamie Lynn”, escreveu na ocasião.

Recentemente, surgiram rumores para uma entrevista da cantora para a apresentadora Oprah Winfrey, para contar o seu lado da história. Britney também foi convidada pelo Congresso dos Estados Unidos para falar sobre os abusos vividos durante os 13 anos sob tutela.

Durante o processo de Britney contra o pai, dois documentários sobre o caso foram lançados: “Framing Britney Spears”, que chegou ao Brasil pelo Globoplay; e “Britney vs. Spears”, que está disponível pela Netflix.