Nesta segunda-feira (17), os EUA receberam mais de 300 americanos que estavam no cruzeiro Diamond Princess, onde há um surto de COVID-19, o novo coronavírus. Agora, as autoridades descobriram que 14 dos passageiros que desembarcaram no país deram positivo para a doença.

A chegada dos passageiros praticamente dobra o número de casos confirmados do novo coronavírus nos EUA, passando de 15 para 29. As pessoas infectadas, que não mostravam sintomas do coronavírus, estão sendo tratadas e monitoradas na Universidade do Nebraska em Omaha e em hospitais da Base da Força Aérea de Travis, na Califórnia.

Os americanos que foram repatriados para os EUA e testaram negativo terão que ficar em quarentena durante duas semanas, que acredita-se ser o período de incubação do vírus.

Os EUA tinham dito que passageiros que testassem positivo para o novo coronavírus não poderiam embarcar nos voos fretados para o país. Apesar disso, os planos do governo deram errado – no caminho para o aeroporto se soube que 14 pessoas entre mais de 300 passageiros tinham testado positivo para o COVID-19.

Os passageiros tinham sido testados para o coronavírus por especialistas japoneses dois ou três dias antes da repatriação programada. De acordo com o New York Times, especialistas dos EUA examinaram os passageiros do navio e determinaram que pelo menos 328 poderiam ser evacuados.

Ao mesmo tempo, os EUA não tinham os resultados dos testes para todos os passageiros que planejavam levar de volta para o país. No entanto, continuaram com a repatriação depois de determinarem que não saberiam quando os resultados ficariam prontos, dizendo especificamente que se tratava de algo “imprevisível.”

Nesta segunda-feira, o governo japonês anunciou que o número de casos confirmados de COVID-19 no cruzeiro Diamond Princess tinha subido para 454.

Em uma decisão de última hora, os EUA decidiram levar os 14 passageiros infectados de volta para casa. Autoridades os separaram dos outros passageiros no avião e os isolaram. Em um comunicado conjunto publicado pelo Departamento de Estado dos EUA e o Departamento de Saúde e Serviços Humanos, o governo disse que profissionais médicos estão monitorando de perto todos os passageiros do voo.

“Toda a precaução para assegurar o isolamento adequado e as medidas de proteção da comunidade estão sendo tomadas, considerando as instruções mais atualizadas de avaliação de risco das autoridades médicas dos EUA”, disseram os departamentos. “Continuamos com todos os esforços possíveis para proteger o bem-estar dos cidadãos americanos.”

O New York Times relata que pelo menos 55 americanos no navio tinham o novo coronavírus. Muitos deles estão sendo tratados em hospitais do Japão.

No último relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), foram confirmados 71.429 casos do novo coronavírus, com 70.635 na China. O número de mortos chega a 1.775.