Com essa onda de criptomoedas, eu não ficaria surpreso se o Ryan Gosling aceitasse um papel para um filme em que um cara meio ferrado na vida acaba investimento em bitcoin e se torna milionário de um ano para o outro. Mas me surpreende que uma nova criptomoeda tenha usado a foto do ator como designer da equipe.

• Bill Gates acha que as criptomoedas estão ‘diretamente’ matando pessoas
• Você compraria uma criptomoeda apoiada por Steven Seagal?

A história é bem doida e parece se tratar de uma fraude envolvendo uma oferta inicial de moedas (ICO, na sigla em inglês). A tal criptomoeda, chamada Miroskii, está na fase de arrecadação de grana para o seu desenvolvimento e supostamente seria liberada para o público em breve. Acontece que não foi publicado nenhum artigo técnico sobre ela, apenas um discurso repetido por dezenas de iniciativas parecidas.

De acordo com o material do site da Miroskii, os usuários terão “seu próprio banco descentralizado”, com cartões de crédito e débito das bandeiras Visa, Mastercard e American Express. “A Miroskii Coin é desenvolvida e oferecida ao mercado por especialistas da China, Hongkong, Singapura e Japão”, afirma um trecho do material de promoção.

Na lista de conselheiros, aparecem uma série de entusiastas de tecnologia. É ali que surge a foto de Ryan Gosling, que seria Kevin Belanger: “um experimente designer gráfico com um foco em identidades e ilustração.

O pessoal da CNET foi mais a fundo e tentou descobrir quem eram os outros conselheiros. E, na real, todas as fotos foram roubadas da internet. Perry Henderson, colocado ali como “entusiasta do Blockchain e CEO de várias empresas online”, é apenas um agente imobiliário de Texas. Joel Hermann, descrito como “fundador da Mysterium Network e grande fã de tecnologia” é, na verdade, advogado em Nova York.

No GitHub, Claus Wahlers liberou a lista de todas as identidades reais que aparecem no site da tal criptomoeda.

O problema dessa história é que algumas pessoas podem ter perdido uma grana. O site da Miroskii mostrava que já haviam arrecadado US$ 830 mil (cerca de R$ 2,7 milhões). Embora não seja possível confirmar esse valor, é possível que pessoas tenham investido na criptomoeda: a companhia havia feito uma campanha de relações públicas e chegou a aparecer em sites voltados para bitcoin, como o NewsBTC, por exemplo.

O caso começou a repercutir nesta segunda-feira (5) e o site da Miroskii já não está mais no ar. O mentor do esquema já deu no pé, aparentemente.

[The Next Web, CNET]