A Wired publicou um artigo bem completo sobre como a DARPA está adaptando o Oculus Rift para a ciberguerra. Mas isso significa que soldados estão prestes a dar tiros uns nos outros em realidade virtual? Não, claro que não. Mas é um desenvolvimento interessante para um produto técnológico criado para jogos (nos quais você atira frequentemente em outras pessoas).

O que a DARPA está fazendo com essa modificação do Oculus é o que a agência costuma fazer. Eles estão fazendo pesquisas com um produto tecnológio empolgante e com uma tela que tem a chance de mudar a forma como pensamos em interface de usuário. Assim como os novos donos do Oculus, o Facebook, os militares estão vendo como essa tecnologia transformativa pode de fato mudar o mundo. A Marinha dos EUA já está usando o Oculus Rift para treinamento.



Na quarta-feira, o Oculus Rift esteve em demonstração na Demo Day da DARPA. A Interface criada pela DARPA faz parte do Plan X, uma plataforma de software criada para unificar todas as habilidades de ciberguerra dos militares. Este não é um produto finalizado. O gerente de programa do Plan X da DARPA, Frank Pound, disse à Wired que trata-se apenas de uma prova-de-conceito criada por algumas empresas de design (fora da DARPA). Não há um projeto atual para colocar o Oculus Rift na cabeça dos soldados, mas eles pretendem fazer isso em algum momento no futuro.

A descrição da Wired para a demonstração, que usa dois cotnroles Razer Hydra com sensor de movimentos, faz parecer como se a DARPA de fato quisesse colocar uma guerra virtual dentro de um grande jogo. Você encontra várias esferas, e cada uma delas representa uma “missão”. Selecionar qualquer uma delas leva o usuário a uma série de ações, e algumas podem ser para ataques virtuais, ou para se defender de exércitos de hackers. Parece bem futurista.

Ainda vai demorar um tempo até as salas de controle do exército dos EUA serem dominadas por hackers usando Oculus Rift e caçando malwares. Se eles estão transformando essa tecnologia em um tipo de arma? Não sei , mas ao menos estão brincando um pouco com isso.

Não é difícil imaginar que isso possa acontecer. Soldados já usam smartphones no campo de batalha. Na guerra, não é uma ideia ruim usar algo que ajude a vencer. [Wired]

Imagem via iFixit / Vídeo via Wired