Esse é o Delta Wing, um conceito proposto para ser o futuro bólido da IndyCar (Fórmula Indy, no Brasil). É mais leve, mais barato para manter, e tem só 304 cavalos. Também parece um Batmóvel fundido com um quebrador de recordes movido a foguete.

Sim, o visual é bem estranho, e sim, não parece que ele vá ser muito bom de curvas, mas o projeto está legitimado a ponto de os donos de equipes da Indy terem literalmente fornecido o capital para o seu desenvolvimento. Então como diabos esse Batmóvel com corpo triangular funciona? Tudo consiste em adicionar leveza e controlar o fluxo de ar.

Construído com fibra de carbono que utiliza polietileno reciclado, o carro funciona por causa do peso: incluíndo o piloto, serão menos de 1,000 lbs (453 kg). Tal leveza faz com que o uso da aerodinâmica por parte dos engenheiros tenha impacto ainda maior sobre a performance, e esse é o segredo do Delta Wing.  O downforce é concentrado na parte de trás do chassi, o que permite que a frente seja mais leve e estreita, confiando na traseira para proporcionar estabilidade enquanto as rodas da frente direcionam o carro.

De acordo com engenheiros com quem falamos, as milhares de horas de simulação mostram que as velocidades nas tomadas de curvas serão ligeiramente menores, mas como era de se esperar as velocidades máximas em retas vão aumentar. Lembre-se que esse é um carro com apenas 304 cavalos. A máquina tem metade do peso, metade do arrasto aerodinâmico, metade do consumo e metade da potência, e a razão principal para os donos de equipe gostarem dela são os custos – metade dos de um chassi IndyCar atual da Dallara. Por enquanto é apenas um protótipo, mas está ganhando suporte e gera muitos pensamentos sobre como serão as corridas de monopostos.

Veja vídeos de projeções do Delta Wing aqui e aqui.

por Ben Wojdyla