Eu fiquei positivamente surpreso em meu hands-on do Galaxy Note 7: ele está mais ergonômico, tem um design mais leve para a TouchWiz, e traz novos recursos bacanas. No entanto, o desempenho dele está aquém do esperado.

Este é o Samsung Galaxy Note 7, agora com tela curva e leitor de íris
Samsung Galaxy J2 tem anel luminoso para notificações e ajustes na TouchWiz



O PhoneBuff fez um teste de velocidade entre o Galaxy Note 7 e o iPhone 6S, lançado há quase um ano. O aparelho da Samsung levou 2min4s para rodar quatorze apps e renderizar um vídeo; o iPhone fez tudo isso em apenas 1min21s.

Benchmarks mostram que o Snapdragon 820, presente no Note 7, é ligeiramente mais rápido que o Apple A9. E o aparelho da Samsung ainda tem o dobro de RAM (4 GB vs. 2 GB).

Ainda assim, benchmarks do Anandtech mostram que o Note 7 fica bem atrás dos iPhones mais recentes – incluindo em um teste criado pelo Google:

83395

Não dá para culpar apenas o Android por isso, pois outros smartphones com o sistema rodam mais rápido que o Note 7. Testes do XDA Developers mostram que “o software da Samsung é visivelmente mais lento do que o de dispositivos concorrentes em quase todas as ações”.

O Note 7 leva quase três segundos para abrir o Chrome, Gmail, Play Store e Hangouts após o boot, comparado com dois segundos no HTC 10 (que tem as mesmas especificações) e 1,9s no OnePlus 3. E isso não é algo isolado:

Temos quatro unidades [do Note 7] para nossa equipe, e cada uma delas sofre com claros problemas de desempenho – por vezes de forma consistente, e outras vezes com pouca frequência. Os piores engasgos e lags acontecem apenas de vez em quando, mas o próprio aparelho é simplesmente mais lento do que seus concorrentes…

Note-vs-OP3_1

O problema parece estar no software. Em primeiro lugar, a TouchWiz ainda pesa muito:

… todos nós sabemos que a TouchWiz ou Grace UX será uma experiência mais pesada e cheia de recursos em comparação com o Android puro ou ROMs mais leves. Por exemplo, depois de pressionar “Limpar tudo” no Note 7, ele continua executando 96 processos, contra 50 processos no OnePlus 3 – ambos com os mesmos apps instalados (sem contar os embutidos na TouchWiz).

E em segundo lugar, o Note 7 parece não usar toda a potência do hardware:

… descobrimos que o Note 7 costuma não usar seus quatro núcleos, ao contrário do OnePlus 3, que mistura eficientemente sua utilização de núcleos ao lidar com a mesma tarefa. Ao acompanhar o desempenho do chip gráfico no Note 7, fica extremamente claro que o aparelho vaza quadros em diversas ações, mesmo em pequenas animações em toda a interface do usuário, como uma animação de círculo giratório para a rede Wi-Fi.

Essa história de otimização é deveras antiga. Por exemplo, benchmarks de 2011 mostravam que o Galaxy S II perdia em desempenho para o iPhone 4S, que tinha especificações inferiores. É lamentável que a Samsung ainda não tenha resolvido isso, especialmente para um aparelho que custa R$ 4.299 no Brasil.

Como lembra o The Next Web, nem tudo se trata de performance. Mesmo que você prefira o Android ao iOS, o Note 7 pode ser mais interessante pelo suporte à caneta stylus – agora com novos recursos e à prova d’água – ou o modo de tela dividida. Resta ver se a Samsung vai consertar os problemas de desempenho, no entanto.

[PhoneBuff via The Next Web; XDA Developers e Anandtech via MacRumors]