A Research in Motion, fabricante do BlackBerry, foi destruída ontem no mercado de ações. Mas isto é apenas parte da história: a RIM está em apuros.

1. Sem produtos novos até o próximo trimestre

A linha atual de celulares da RIM é, no mínimo, abaixo da média. Pior, praticamente nenhum dos modelos atuais vai receber a atualização levemente nova e melhor para o BlackBerry OS 7.0. E a RIM ainda diz que haverá “atrasos na apresentação de novos produtos para até o final de agosto”. Ugh.

2. Futuros produtos serão chaaaaatos

E veja o que está chegando a seguir: coisas como o BlackBerry Bold 9900. Sim, ele vai rodar BlackBerry OS 7 e vai ter touchscreen! Só que é o mesmo aparelho que a RIM está lançando pelos últimos cinco anos.

3. O PlayBook

A investida da RIM no mercado de tablets não deu muito certo. O PlayBook impressiona no hardware e nós gostamos dele, à primeira vista. Mas a ausência de funções básicas, como e-mail – uma das funções mais fortes no BlackBerry! – e uma app store basicamente deserta tornam o tablet bem menos atraente que a concorrência.

4. O BlackBerry App World é uma cidade-fantasma

O BlackBerry App World foi lançado em 2009 e tinha cerca de 27.000 apps em abril. O Android tinha, no mesmo período, mais de 200.000 apps, e o iOS passou dos 360.000. E o mais importante, o número de apps de qualidade também é ínfimo.

5. Desenvolvedores odeiam fazer apps para BlackBerry

É um mau sinal quando um desenvolvedor que quer codificar para sua plataforma resolve jogar as mãos pro alto e dizer: “ah, dane-se”. É ainda pior quando a carta aberta é publicada na internet e muitos concordam com ela.

6. Situação financeira está crítica

Os resultados financeiros mais recentes da RIM vieram abaixo do esperado. Muito abaixo. A expectativa anterior para o trimestre seguinte foi reduzida em 20%, e a RIM deve demitir muita gente. Quem comprou ação da empresa quis se livrar dela ontem.

7. O comando da empresa está sofrendo

A RIM ainda tem dois CEOs, e nenhum dos dois é um líder ousado e inovador – apesar de Mike Lazaridis ser um gênio na engenharia. A dupla passou boa parte do conference call da RIM aos investidores justificando por que a coliderança é algo bom. Por que não provar isto com ótimos celulares e usuários satisfeitos?

8. Nem mesmo quem tem BlackBerry quer continuar com ele

Uma pesquisa do ano passado sugere que mais da metade dos donos de BlackBerry queriam mudar para Android ou iOS. Precisa dizer mais?

9. O interesse das empresas está diminuindo

A RIM tem um pé firme no mundo corporativo, mas está começando a perder espaço. Antes, todo mundo – do CEO ao gerente – tinha um BlackBerry na cintura. Aos poucos, mas com força, estes celulares estão sendo substituídos por iPhones e Androids. Até mesmo o iPad está ganhando espaço. Tim Cook, da Apple, disse recentemente que “mais de 80%” das empresas Fortune 100 – as cem empresas americanas com maior receita – estavam testando o iPad.

10. Outras empresas tiraram as vantagens da RIM

A grande vantagem da RIM era o e-mail push e o serviço BlackBerry Messenger. Agora, praticamente todo smartphone tem e-mail push (de alguma forma) e o novo serviço iMessage da Apple tem como alvo o BBM. O BlackBerry OS 7 já está atrás da curva, e ele nem foi lançado ainda. Veja só o Android, com controle por voz e navegação gratuita embutidos no sistema.

O co-CEO Mike Lazaridis tentou dar um ar positivo para o período “de transição” da empresa quando ele disse: “a RIM está trilhando um caminho especial, e o motivo pelo qual fazemos as coisas pode não parecer óbvio do lado de fora”. Alguém precisa avisar ao Mike que é hora de parar com essa cortina de fumaça e começar a lançar bons aparelhos, e rápido. Se não, a RIM vai acabar… como a Palm.