Quando eu era criança, eu sempre fiquei impressionado com trabalhos de modelagem. Mas ficava ainda mais maluco com dioramas — na verdade, ainda fico. Nesse caso, no entanto, eles não são só impressionantes: eles são destruidores de cérebros.

Durante o Shizuoka Hobby Show, dioramas do Star Wars e do Gundam quase roubaram o show.



O nível de detalhes das miniaturas é de arrepiar. No fim, as obras lembram as cidades de miniatura que um homem vestido de robô esmagava em seriados japoneses e americanos, no melhor estilo Power Rangers.

Mas ninguém pisaria em algo assim. Ele se tornaria gigante, olharia para a cidade e simplesmente diria: não. [Gigazine, 2]