Estamos um passo mais próximos a uma internet real das coisas com o desenvolvimento de uma nova tecnologia que permite que dispositivos se comuniquem entre si usando sinais de TV e Wi-Fi. A parte mais impressionante? Eles não precisam de bateria.

Uma equipe de desenvolvedores da Universidade de Washington apresentou sua nova técnica de comunicação que não exige nenhum tipo de atenção humana. Conhecida como “retrodifusão ambiente”, esta tecnologia literalmente cria uma rede a partir do nada, e os dispositivos podem ir para qualquer lugar. “Nós podemos reaproveitar sinais wireless que estão ao nosso retor tanto como uma fonte de energia quanto como um meio de comunicação”, explica Shyam Gollakota, um dos responsáveis pelo estudo. “Esperamos conseguir aplicações em diversas áreas como computação vestível, casas inteligentes e redes de sensores auto-sustentáveis.”

Parece bem prático. Esses sensores livres de bateria poderiam ser instalados, por exemplo, em um chaveiro que se comunicaria com o seu smartphone. Assim, se a sua chave cair do seu bolso no sofá, o sensor envia uma mensagem ao seu smartphone quando você se levantar. De acordo com o PhysOrg, “ela pode ser configurada para quando a bateria acabar, o smartphone continuar enviando mensagens de texto ao se aproveitar do sinal ambiente da TV”. As mensagens provavelmente seriam escritas anteriormente, já que é bem difícil digitar qualquer coisa em um telefone sem bateria.

As implicações da retrodifusão ambiente vão muito além da conveniência doméstica. Os pesquisadores explicaram um caso onde sensores seriam instalados nas paredes de prédios e avisariam os proprietários de qualquer rachadura que possa prejudicar a integridade estrutural. O mesmo vale para pontes, peças de carros e praticamente qualquer coisa que você imaginar. Como eles não exigem bateria, podem ser bem pequenos e ser colocados em qualquer lugar.

É tudo bem incrível quando você pensa um pouco. Imagine um futuro onde a tecnologia é verdadeiramente sem fio. Estes pequenos sensores podem ser os primeiros de uma nova classe de dispositivos autônomos que vão se espalhar pelo mundo para facilitar a nossa vida.  [PhysOrg]