Atualização [13/11]: Em um evento realizado em nesta quarta (13) São Paulo, a DJI lançou seu Mavic Mini no Brasil. Ele custará R$ 4.049 e chegará aos revendedores em duas semanas.

Atualização [28/11]: Informação de que o acréscimo de itens ao drone poderá fazer com que o dono tenha de registrá-lo na Anac.

A DJI anunciou nesta quarta-feira (30) o último membro da linha Mavic, e, olha, ele é pequeno. O dobrável Mavic Mini tem o tamanho de três smartphones empilhados um sobre o outro e pesa apenas 249 gramas. Isso é leve o suficiente para significar que você não precisa registrar um Mavic Mini na FAA (Administração Federal de Aviação dos EUA) ou na Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Estas regulações de drone são válidas para aeronaves de 250 gramas ou mais e, se você acha que a DJI está sendo um pouco malandra, você tem razão. O fato é que se você incluir qualquer item a mais, isso já fará com que ele pese mais que o estabelecido e tenha de registrar o drone.

Em uma conferência de imprensa nos EUA, a DJI descreveu o Mavic Mini como “sua câmera aérea do dia a dia”. Como ele tem especificações abaixo do necessário para cadastro em órgãos de aviação, o novo Mavic quer ser o “drone para todos”.

Ele vem com uma nova câmera que grava vídeos em 2,7 K, com resolução cerca de 40% maior que o FullHD, mas não tanto quanto 4K. A câmera também tira fotos de 12 MP e promete estabilidade decente graças ao seu minúsculo cardan de três eixos. Também impressiona o tempo de voo dele, com a empresa prometendo autonomia de 30 minutos para o Mavic Mini.

O drone também possui um alcance de até 4 km, um controle remoto recém-planejado, sensores visuais e receptores de GPS, permitindo um voo mais estável e aterrissagem precisa.

Se você juntar todas essas especificações, receberá um drone muito pequeno que pode fazer muitas coisas que drones muito maiores podem fazer. De fato, de várias maneiras, o Mavic Mini pode fazer as mesmas coisas que os primeiros modelos DJI Phantom, exceto que este cabe no seu bolso. A DJI também projetou um novo aplicativo simplificado projetado para tornar o Mavic Mini mais fácil de pilotar. O aplicativo está cheio de tutoriais, além de um simular de voo.

O que falta ao Mavic, no entanto, é a tecnologia de prevenção de obstáculos. Isso pode ser um grande problema para pilotos iniciantes que tendem a colidir com seus drones em árvores, cercas e edifícios.

A falta do recurso também faz com que o drone iniciante da DJI, o Spark, pareça um pouco mais atraente para iniciantes. Nos EUA, o Spark custa US$ 500 e pesa 300 gramas, mas tem alguma tecnologia de prevenção de colisão embutida. Dito isto, o Mavic Mini tem uma melhor configuração de câmera e cardan comparado com o Spark. Também é mais portátil e, novamente, não precisa ser registrado na FAA ou na Anac.

Drone DJI Spark
Drone Spark Fly More Combo, DJI, CPPT000909, Branco
R$3290

O Mavic Mini começa a ser vendido no Brasil na segunda quinzena de novembro, e ele será vendido numa versão padrão, que acompanha controle, bateria, hélices adicionais e ferramentas e cabos necessários.

Haverá ainda o Mavic Mini Fly More Combo, que inclui os componentes da versão padrão, mais uma gaiola da hélice em 360 graus, concentrador de carga bidirecional, três baterias, três conjuntos de hélices adicionais e um estojo de transporte. Os preços deverão ser divulgados com detalhes próximo ao lançamento.

*Com informações adicionais de Guilherme Tagiaroli

Correção: uma versão anterior deste texto falava do preço dos drones tanto no corpo da nota como no título. No entanto, segundo a DJI, o preço oficial só será divulgado próximo ao lançamento.

O Gizmodo Brasil pode ganhar comissão sobre as vendas. Os preços são obtidos automaticamente por meio de uma API e podem estar defasados em relação à Amazon.