O foguete de fibra de carbono de apenas 17 metros da Rocket Labs partiu nesta quinta-feira (25) da Mahia Peninsula, na Nova Zelândia, e chegou no limite até o espaço. Embora o Electron – como é chamado – não tenha entrado em órbita, ele fez o seu melhor, e tudo isso conta.

• A aterrissagem deste foguete da SpaceX é simplesmente divina
• Desenvolvimento do foguete mais poderoso da NASA acaba de alcançar marco importante

“Foi um bom voo”, disse o fundador e CEO da Rocket Labs, Peter Beck, em um comunicado. “Tivemos uma boa queima do primeiro estágio, o estágio de separação, a ignição do segundo estágio e a separação da carenagem. Não conseguimos chegar à órbita e iremos investigar o por quê, embora chegar ao espaço em nosso primeiro teste nos coloca numa posição incrivelmente forte para acelerar a fase comercial do nosso programa, entregar aos nossos consumidores a possibilidade da órbita e tornar o espaço aberto para negócios.”

A Rocket Labs é uma startup baseada na Nova Zelândia que planeja se especializar no lançamento de nanossatélites chamados CubeSats. Seus foguetes são muito menores do que o Falcon 9, da SpaceX, ou o New Shepard, da Blue Origin, mas o foguete (relativamente) leve espera cortar dramaticamente o custo associado com o lançamento de CubeSats, abrindo o mercado de satélites para empresas menores e pesquisadores que atualmente não podem pagar por isso.

Aqui está o Electron no chão:

E agora no espaço:

O lançamento de hoje, apropriadamente chamado de “Isso é um teste”, foi o primeiro de três voos de testes planejados para este ano. A empresa espera realizar mais de 50 lançamentos em um ano, assim que chegar à sua produção máxima, fazendo parcerias com a NASA, Moon Express e outras.

Há muita coisa pela frente, Electron! Você fez um bom trabalho.