Cibercriminosos hackearam e roubaram grandes quantidades de dados da Electronic Arts. A editora de franquias como The Sims e Battlefield não informou quando o incidente realmente aconteceu, mas garantiu que informações relacionadas aos jogadores não foram comprometidas.

“Estamos investigando um recente incidente de intrusão em nossa rede, em que uma quantidade limitada de código-fonte do jogo e ferramentas relacionadas foram roubadas. Nenhum dado de jogador foi acessado e não temos razão para acreditar que haja qualquer risco para a privacidade dos usuários”, disse um porta-voz da EA em um comunicado fornecido ao Gizmodo US.

A EA ainda declarou que, após o incidente, foram feitas melhorias na segurança dos serviços usados na proteção desses conteúdos, e que não é esperado impacto nos jogos ou negócios da empresa. “Estamos trabalhando ativamente com autoridades e outros especialistas como parte dessa investigação criminal em andamento”, complementou.

Um profissional de segurança compartilhou um link com o Gizmodo US para um site na dark web, que é o local aonde os cibercriminosos parecem estar vendendo produtos da EA. De acordo com os hackers, o cache é composto por cerca de 780 GB de dados e inclui o código-fonte completo para o jogo FIFA 21, bem como o código-fonte para o motor gráfico FrostBite — uma peça central do software necessário para os títulos da EA rodarem devidamente.

O motivo aqui, como em muitos outros ataques cibernéticos, é puramente financeiro. Vender esse tipo de informação proprietária em camadas profundas da Dark Web pode render muito dinheiro. No caso dos responsáveis pelo hack da EA, aparentemente eles querem ofertas de compradores grandes e sérios.

Assine a newsletter do Gizmodo

Relatado pela primeira vez pelo Motherboard, o ataque à EA é um dos vários incidentes cibernéticos recentes envolvendo empresas de jogos. Em novembro, a Capcom foi alvo de uma violação que levou ao comprometimento dos dados de centenas de milhares de funcionários, atuais e antigos. Mais recentemente, a CD Projekt Red foi hackeada, e alguns dos principais jogos da empresa, como Cyberpunk 2077 e The Witcher, também tiveram o código-fonte divulgado na web.