O CEO da SpaceX, Elon Musk, anunciou na sexta-feira (17) que o Starlink, serviço de Internet via satélite da empresa, sairá de sua fase beta (estágio de desenvolvimento, mas pronto para ser lançado ao público) em outubro. Embora a notícia seja empolgante, acreditamos que a chance disso acontecer seja a mesma de achar agulha num palheiro. Afinal, Musk é o homem que se tornou famoso por não cumprir prazos ao longo dos anos.

Musk forneceu a atualização no Starlink, que oferece internet por meio de cerca de 1.800 satélites de órbita baixa e contando, em sua plataforma de mídia social favorita, o Twitter, mas não entrou em detalhes. (Ele literalmente twittou “mês seguinte” em resposta a uma pergunta do usuário). No início deste ano, o bilionário disse que o Starlink “provavelmente” estaria fora da versão beta até o final do verão, mas com apenas alguns dias pela frente, é improvável que a empresa alcance essa meta.

Sair da fase beta indicaria a aproximação da empresa para um lançamento maior do serviço. O Starlink afirmou ter recebido mais de 500 mil pedidos em maio deste ano. Como de costume, o tweet de Musk conseguiu aumentar os olhares para o Starlink, sendo um serviço muito necessário para aqueles que vivem em áreas remotas e que atingiu marcos impressionantes nas últimas semanas.

No início de agosto, o Starlink ganhou as manchetes quando os testes de velocidade de Internet da Ookla (teste global de velocidade de banda larga) demonstraram que era muito mais rápida do que as principais opções alternativas de Internet via satélite oferecidas pela HughesNet e Viasat nos EUA. O provedor quase teve um desempenho tão bom quanto a banda larga fixa em testes de upload e download. Foi também o único com uma latência mediana semelhante à da banda larga fixa.

O Ookla apontou que a velocidade média de download do Starlink na América foi de 97,23 Mbps durante o segundo trimestre de 2021, que foi “rápida o suficiente para atender à maioria das necessidades da vida online moderna”. Em comparação, a HughesNet ofereceu velocidades de 19,73 Mbps, enquanto a Viasat ofereceu velocidades de 18,13 Mbps no mesmo período. O Starlink não atingiu a velocidade média de download oferecida por todos os provedores de banda larga fixa, ou 115,22 Mbps, mas isso não significa que teve uma exibição ruim.

Assine a newsletter do Gizmodo

Além disso, no final de agosto, Musk revelou que o Starlink havia despachado 100 mil terminais – que custavam 499 dólares, sem incluir a taxa mensal de  99 dólares pela Internet real – para 14 países. O anúncio implicava que o serviço de Internet via satélite conquistou 10 mil usuários em menos de um mês.

No geral, a única maneira de confirmar que o Starlink sairá de sua fase beta é esperar para ver. É o famoso ‘só acredito vendo’, mas talvez Musk prove que estamos errados.