Depois de apostar em carros elétricos, foguetes e até chips que prometem ser implantados no cérebro das pessoas, Elon Musk promete reinventar outro setor: o de robótica. Mas não sei bem se isso seria exatamente uma reinvenção, porque a ideia do bilionário é transformar robôs naqueles dançarinos do clipe Around The World, do Daft Punk.

Primeiro, vamos às “especificações” do tal robô. Batizado de Tesla Bot, o “produto” mede um pouco mais de 1,70 metro e pesa 56 quilos. O corpo em si tem o formato de um corpo humano, com a diferença que, na parte que começa na cabeça e vai até o começo do ombros, haverá um painel dinâmico que traz informações pertinentes para o dono do aparelho.

Musk afirma que o Tesla Bot foi projetado para “eliminar tarefas perigosas, chatas e repetitivas”. Bom, pelo menos no que diz respeito aos humanos, já que o robô em si virá equipado com o software Autopilot usado nos carros da Tesla — justamente para desempenhar ações que nós de carne e osso fazemos no dia a dia. O sistema será alimentado por oito câmeras de mapeamento de ambiente.

Imagem: Reprodução/YouTube

Embora o primeiro protótipo do robô humanoide esteja previsto para 2022, Musk fez uma apresentação um tanto bizarra (para não dizer cômica) de como deverá ser a máquina. Acontece que a demonstração era apenas uma pessoa dançando em uma roupa colada. Sério.

“O robô Tesla será real. A Tesla é, indiscutivelmente, a maior empresa de robótica do mundo, porque nossos carros são como robôs semi-sencientes sobre rodas”, disse Musk.

O executivo posiciona seu sonho robótico como o futuro do trabalho. Admito que isso faz bastante sentindo, ainda mais quando sua empresa é conhecida por abuso verbal e condições precárias. Logo, adotar uma linha de funcionários inteiramente robótica diminuiria o número de reclamações, mesmo diante de uma pandemia. Além disso, Musk acredita que, no futuro, “o trabalho físico será uma escolha”. “Se quiser, você poderá [trabalhar], mas não precisará fazer o trabalho”, completou.

Muita calma nessa hora

Esse é mais um dos projetos ambiciosos de Elon Musk e suas várias companhias. E, por enquanto, não chega sequer a ser um protótipo de algo que pode chegar às lojas um dia. Na verdade, é a promessa de um protótipo para muitos anos no futuro.

Assine a newsletter do Gizmodo

Então, qual é o ponto de revelar algo que ainda demorará anos para acontecer (isso se acontecer)? Eu diria que é exatamente aquilo que Musk está habituado a fazer, principalmente quando pegamos como exemplo suas falas sobre criptomoedas: causar um burburinho na imprensa e fazer com que todos comentem sobre seus anúncios. Os projetos podem dar certo? Sem dúvida. Mas também podem dar muito errado. Basta nos lembrarmos das promessas de Musk em lançar táxis autônomos em 2020 ou das telhas solares de 2016 que nunca foram lançadas.