Elon Musk, é o fundador da Tesla e SpaceX, e pode ter inspirado o Homem de Ferro de Robert Downey, Jr. Ele fez uma reunião no Pentágono com Ash Carter, secretário de Defesa dos EUA. O governo americano não divulga o assunto; enquanto o empresário disse no Twitter que falou “algo sobre um traje voador de metal”.

“Elon Musk é uma das mentes mais inovadoras neste país e o secretário, como se sabe, vem abordando diversos membros da comunidade de tecnologia para ouvir suas ideias, seu feedback, e descobrir o que está acontecendo no mundo da inovação”, disse Peter Cook, secretário de imprensa do Pentágono.

A reunião desta semana foi focada em “inovação”, segundo um porta-voz do Departamento de Defesa que falou com a CNN – mas nenhum outro detalhe foi divulgado.

No Twitter, Musk jogou a referência ao Homem de Ferro:

Normalmente, seria fácil desconsiderar isso como uma piada. No entanto, Musk é conhecido por suas iniciativas ousadas – criar uma internet espacial, ajudar a colonizar Marte, investir em um sistema futurista de transporte – então fica difícil saber ao certo. Inclusive, várias empresas e o próprio governo americano realmente vêm trabalhando em exoesqueletos.

Meu palpite é que o assunto da reunião envolveu a SpaceX, uma empresa espacial privada que tem um contrato de US$ 82 milhões com a Força Aérea dos EUA.

O Pentágono vem cortejando empresas privadas no Vale do Silício no último ano para estabelecer mais vínculos com a indústria de defesa, e até abriu um escritório na Costa Oeste dentro do programa DIUx (Unidade de Inovação Experimental de Defesa).

Eles estão reajustando o escritório para reduzir a burocracia e simplificar os contratos. “Nós estamos adotando práticas vindas diretamente do Vale do Silício”, disse Carter de acordo com a Bloomberg. “Estamos lançando o DIUx 2.0.”

No passado, Carter falou sobre um “cronograma de financiamentos”, algo que deve interessar bastante às empresas da região. Muitas vezes esquecemos que o Vale do Silício começou devido ao forte apoio do orçamento militar dos EUA, para produzir armas de guerra e os microchips para orientá-los aos seus destinos.

Isso foi mais intenso na década de 1990, quando vimos o governo dos EUA ajudar no processo de comercializar a internet e o GPS – ambos começaram como tecnologias militares. Desde então, os esforços se tornaram mais desajeitados. Eu confiaria em Elon Musk para ajudar as forças militares dos EUA a financiar o Vale do Silício.

[CNN e Bloomberg]

Foto por Associated Press