Um homem do Reino Unido é a primeira pessoa a ter o pênis quebrado verticalmente durante o sexo. Apesar da lesão, porém, ele se recuperou totalmente.

A fratura peniana, é descrita com mais precisão como um rasgo que começa na túnica albugínea, a camada protetora que envolve o tecido erétil que bombeia sangue para o pênis. A razão pela qual parece um osso quebrado é que a maioria das lesões acontecem durante o sexo, quando um pênis totalmente ereto é dobrado demais e/ou com muita força, o que faz com que o sangue vaze. Quando isso acontece, é quase sempre acompanhado por um som de estalo alto junto com hematomas e inchaço que se formam rapidamente, assim como um osso quebrado. A lesão também causa detumescência imediata ou a perda de uma ereção. É considerado incomum, embora provavelmente não seja relatado devido ao constrangimento.

Os urologistas por trás deste estudo de caso, publicado no BMJ Case Reports, dizem que a lesão do paciente foi ainda mais rara do que a variedade típica. Como a maioria dos casos, o homem de 40 anos se machucou durante o sexo, especificamente quando seu pênis “dobrou contra o períneo de sua parceira”. Mas ele não apresentou muitos dos sintomas de uma fratura peniana clássica. Ele não ouviu um estalo alto quando isso aconteceu, por exemplo, nem desenvolveu um sinal de “rolamento”, que é quando a pele do pênis pode ser enrolada sobre um grande hematoma que se forma nele. Seu pênis também estava apenas moderadamente inchado e ele não perdeu a ereção imediatamente.

A estranheza foi suficiente para convencer os médicos a pedirem uma ressonância magnética, geralmente desnecessária nesses casos. E quando o teste voltou, ele confirmou que o pênis do homem tinha um rasgo vertical de três centímetros de comprimento ao longo do lado direito, ao redor do meio do eixo, ao invés de um rasgo transversal ou horizontal. Até onde eles podem dizer, é o primeiro ferimento desse tipo já relatado. Infelizmente (ou talvez felizmente para os leitores mais sensíveis por aí), os médicos não tiraram nenhuma foto do ferimento, devido às restrições relacionadas à pandemia na época.

“Em julho de 2020, uma revisão da literatura PubMed confirmou que todos os casos documentados na língua inglesa relatam uma fratura ‘transversal’ da túnica albugínea”, escreveram eles. “Por sua vez, apresentamos o primeiro caso documentado de fratura vertical do pênis, confirmada por ressonância magnética, sustentada por um homem de 40 anos durante relação sexual.”

Dados os sintomas mais leves do homem, os médicos especulam que um pênis quebrado verticalmente pode ser visivelmente diferente na apresentação e nos resultados a longo prazo em comparação com a lesão mais típica. Uma fratura peniana é uma emergência médica séria que pode levar à impotência erétil, por isso é recomendado que os médicos a tratem em 24 horas. Mesmo com cirurgia para reparar o rasgo e estancar o sangramento, as complicações duradouras podem incluir uretra marcada e estreitada ou um pênis muito mais curvo do que antes.

Assine a newsletter do Gizmodo

Felizmente, neste caso, a cirurgia pareceu um sucesso total. E não demorou muito para que o homem se recuperasse sem problemas persistentes. De acordo com o relatório, os médicos planejam ficar de olho no homem. “Em termos de resultados de longo prazo, compararemos a recuperação desse paciente com a da literatura”, escreveram eles. “Tranquilamente, no entanto, este paciente foi capaz de retomar a atividade sexual dentro de 6 meses após a lesão, alcançando ereções da mesma qualidade das anteriores à lesão, negando qualquer curvatura peniana ou cicatriz palpável significativa.” A propósito, caso você esteja se perguntando, os fatores de risco para o pênis quebrado clássico incluem ter mais de 40 anos e fazer sexo “no estilo cachorrinho” ou com uma mulher por cima.