Médicos de um hospital na cidade de Nova York fizeram uma descoberta inusitada na semana passada quando um homem de 63 anos foi à emergência reclamando de dores no joelho.

O homem decidiu visitar o Lincoln Medical Center por sentir dores após uma queda na calçada enquanto caminhava de bengala, conforme aponta o artigo que será publicado em setembro no periódico Urology Case Reports.

Como ele havia caído de bunda, os médicos tiraram um raio-x de sua região pélvica e notaram algo muito esquisito. Os autores, a maioria que trabalha para o Lincoln Medical Center, escreveram que as imagens mostravam uma “calcificação extensa, em forma de placa, ao longo da distribuição esperada do pênis”.

O paciente se queixou aos médicos de dor no pênis, mas ele não tinha secreção, próstata inchada, ou outros sintomas claros relacionados ao órgão.

Os médicos descobriram posteriormente que seu pênis estava literalmente se transformando num osso por causa de uma rara doença.

A ossificação peniana é causada pelo acúmulo de sal de cálcio no tecido mole do pênis. Os autores escreveram que existem menos de 40 casos relatados dessa condição.

Imagens de raio-x do paciente com calcificação peniana Imagens do raio-x mostram “extensa calcificação em forma de placa ao longo da distribuição esperada do pênis”. Via: ScienceDirect

Um relato de 2017 da Reviews in Urology documenta o caso de um homem de 43 anos de idade que procurou ajuda médica após sentir dores no meio do pênis, que se espalhou para “o pênis inteiro”. Inicialmente, os médicos removeram fibromas, um tipo de tumor benigno de seu pênis. Alguns meses depois, o paciente decidiu implantar uma prótese peniana inflável porque tinha tido disfunção erétil, e os médicos descobriram “o que parecia ser um tecido calcificado ao longo de 80% da haste do pênis”.

Os médicos determinaram que o paciente tinha a doença de Peyronie, ou fibrose peniana. De acordo com os autores do estudo Urology Case Reports, o paciente de 63 anos que foi ao hospital de Lincoln provavelmente também tinha a doença de Peyronie, mas não conseguiram fazer um diagnóstico preciso. O paciente foi embora sem fazer testes ou passar por tratamento, de acordo com o artigo, apesar de ter calcificação ao longo de “toda a haste”.

“Não podíamos avaliar as etiologias [causa] uma vez que nosso paciente decidiu ir embora contra a orientação médica”, escreveram os autores.