Um caso médico assustador publicado em dezembro nos lembra por que não se deve morder os genitais dos outros. O artigo detalha como uma mordida de amor acidental deixou o pênis de um homem à beira de apodrecer – apesar disso, os médicos conseguiram intervir e salvá-lo.

O homem de 43 anos foi ao pronto socorro com uma ferida dolorosa que parecia estar apodrecendo, perto da ponta de seu pênis. Sua parceira tinha o mordido sem querer enquanto faziam sexo, cinco dias antes de ele procurar ajuda médica.

No momento em que mostrou a ferida de 3 centímetros para os médicos, ela já tinha ficado preta – um sinal de que o tecido infectado à sua volta necrosou e morreu.

O relato foi publicado na semana passada no periódico Visual Journal of Emergency Medicine (Revista Visual de Emergência Médica, em tradução livre) e, fazendo jus ao nome da revista, há uma imagem bem feia da ferida no artigo. Só clique neste link se tiver coragem.

Considerando todos os fatores, a situação poderia ter sido muito pior. O homem não tinha nenhum sinal de infecção sistêmica, como febre. Em outras palavras, a infecção estava limitada ao seu pênis. Mas dado o risco de uma gangrena em seu pênis que poderia por sua vida em risco, os médicos rapidamente o internaram e lhe deram antibióticos intravenosos.

O tratamento pareceu funcionar – o homem teve alta, mas ainda teve que tomar antibióticos orais. Um check-up um mês depois descobriu que ele tinha se recuperado completamente, com apenas uma “deformidade mínima na glande do pênis.”

Esse não é, nem de longe, o primeiro caso de uma infecção no pênis causada por uma mordida. Mas é surpreendente que muitas pessoas não procuram ajuda médica imediatamente depois de uma mordida em seus genitais.

“Como neste caso, os pacientes que são mordidos no pênis muitas vezes não procuram cuidados médicos imediatos, e o processo da doença avança”, observa o artigo.

O relato também alerta que os médicos não podem tratar esses casos de forma leve, apresentando dois outros cenários hipotéticos em que a decisão médica correta é já iniciativa o tratamento com antibióticos, mesmo que a ferida pareça ser de menor gravidade. Isso porque as nossas bocas estão cheias de bactérias que podem ser inofensivas naquele ambiente, mas se tornam perigosas ao entrar em contato com outras partes do corpo por meio de uma ferida.

“Mesmo feridas de mordidas humanas despretensiosas possuem risco de desenvolver infecções significativas”, observa o artigo.