Pela primeira vez, uma pessoa foi identificada com os vírus influenza e coronavírus ao mesmo tempo no organismo. Essa mistura de gripe e Covid-19 está sendo chamada de “flurona”.

O caso foi detectado em Israel. A pessoa infectada é uma jovem grávida que deu entrada no Hospital Beilinson, na cidade de Petah Tikva, na última semana. A mulher, que não foi vacinada contra nenhum dos patógenos, recebeu alta no dia 30 de dezembro.

Arnon Vizhnitser, diretor do Departamento de Ginecologia do hospital, disse ao jornal local Hamodia que a moça “foi diagnosticada com influenza e coronavírus assim que ela chegou.” Os profissionais submeteram a gestante a mais de um teste de cada doença e todos deram positivo.

De toda forma, a jovem apresenta apenas sintomas leves. “A doença é a mesma: elas são virais e causam dificuldade para respirar, pois ambas atacam o trato respiratório superior”, explicou Vizhnitser.

Mesmo assim, autoridades de saúde israelenses pretendem estudar o caso para determinar se a combinação pode aumentar a gravidade da doença. O médico contou que os casos de gestantes com gripe têm sido frequentes no hospital, o que configura risco devido a dificuldade de lidar com mulheres que chegam com febre na hora do parto.

“Isso é especialmente desafiador quando você não sabe se é coronavírus ou gripe, então você os trata da mesma forma. A maior parte das doenças é respiratória”, disse Vizhnitser.

Embora este seja o primeiro caso de flurona confirmado no mundo, autoridades de saúde locais não descartam a possibilidade de que haja mais pessoas infectadas de modo simultâneo com o vírus influenza e Sars-CoV-2.

Na última sexta-feira, Israel confirmou que irá administrar uma quarta dose da vacina contra a Covid-19 em indivíduos com sistema imunológico comprometido. Idosos em instituições de cuidados e médicos do país também devem receber o reforço em breve – uma forma de barrar o aumento de infecções causadas pela variante Ômicron.