É, chegou novamente a época — um outro padrão de USB foi apresentando, pronto para atualizar as portas do seu dispositivo num futuro próximo. Aqui vamos explicar tudo que você precisa saber sobre o USB4, incluindo melhorias de velocidade e as novas capacidades que ele vai pegar emprestado do Thunderbolt 3, que compartilha o mesmo formato de porta, mas é diferente e com um protocolo mais exigente que pode pegar carona nas portas USB-C.

Se você estiver um pouco confuso sobre o que estamos falando, o último padrão em uso é o USB 3.1, embora não tenha muitos dispositivos que o suportem (os últimos MacBook Pro têm). O padrão USB 3.2 foi confirmado em termos de especificações técnicas, mas não vai aparecer em eletrônicos de consumo até o fim deste ano.

Estamos esperando o USB 3.2 chegar, então que bela hora para se falar de USB4, né? O USB Promoter Group acabou de divulgar os detalhes da nova tecnologia e removeu o espaço entre a palavra e o número de versão também. Para complicar as coisas ainda mais, o grupo agora está se referindo ao USB 3.0 como USB 3.2 Gen 1, e USB 3.1 como USB 3.2 Gen 2. Super fácil de entender.

O mais recente USB 3.2 é tecnicamente USB 3.2 Gen 2×2 — este “2×2” se refere à habilidade de usar dois canais de alta velocidade no mesmo cabo, para uma capacidade máxima de transmissão de 20 Gbps. O USB 3.1 (USB 3.2 Gen 2) chega até 10 Gbps, enquanto o USB 3.0 (USB 3.2 Gen 1) atinge até 5 Gbps.

Smartphones Pixel com porta USB-C à mostraCrédito Sam Rutherford/Gizmodo

Note também que o formato e o padrão da porta são separados do protocolo subjacente, embora eles frequentemente sejam desenvolvidos em conjunto (USB 3.2 Gen 2×2 precisa de um conector USB-C, por exemplo). Em outras palavras, nem todos plugues USB-C têm a mesma tecnologia USB por dentro — fabricantes podem fazer escolhas diferentes sobre as velocidades e preços que elas quiserem pagar.

Para oferecer um padrão USB em particular, você precisa de um dispositivo (digamos, um computador ou um telefone), uma porta USB e um cabo com suporte a estes dois primeiros, caso contrário, a velocidade cairá para um nível mais lento.

Com toda essa bagunça, o que o USB4 trará para nós? As manchetes dizem que a largura de banda dobrará novamente, então estamos falando de 40 Gbps. Se você não manja dos termos, a largura de banda é como o número de linhas em uma via — sua capacidade potencial — enquanto a taxa de transferência é quantos carros podem de fato viajar (ou estão viajando) por ela de uma vez só.

A taxa de transmissão (a velocidade) será sempre igual ou menor que a largura de banda (velocidade teórica) dependendo de todos os tipos de fatores, incluindo os dispositivos que você estiver usando. Se você estiver usando portas USB4, cabos e dispositivos compatíveis, você poderá atingir a taxa de transmissão máxima de 40 Gbps que a largura de banda permite.

Laptop com porta USB-CCrédito: Sam Rutherford/Gizmodo

Além disso, a Intel está lançando o padrão Thunderbolt 3 como parte do protocolo USB4, que permitirá conectar monitores 4K e outros dispositivos juntos sem a necessidade de um hub — algo que o USB nunca conseguiu fazer.

Isso essencialmente significa que o Thunderbolt 3 vai ser construído na plataforma USB4, trazendo mais versatilidade em termos de taxas de transferência de dados quando usados com múltiplos dispositivos. Embora Macs combinem Thunderbolt 3 e USB, a tecnologia é ainda relativamente rara em PCs e outros dispositivos.

Nas palavras do comunicado à imprensa, o USB4 “define um método para compartilhar dinamicamente um link de alta velocidade com múltiplos dispositivos finais que melhor servem para a transferência de dados por tipo e aplicação” — então pense em múltiplos displays externos e outros dispositivos como discos rígidos conectados em apenas um cabo ou uma cadeia de cabos em vez de um hub.

A boa notícia é que tudo isso vai ser retrocompatível com USB 2, USB 3 e Thunderbolt 3 — seus dispositivos ainda conseguirão falar com hardware USB 4, a questão é que a velocidade vai ser menor.

Smartphone Samsung com porta USB-CCrédito: Sam Rutherford/Gizmodo

Conexão de múltiplos dispositivos, dobro de largura de banda, mais versatilidade, integração com Thunderbolt 3…o USB4 parece pronto para evoluir do 3.2 da nomenclatura oficial.

Então, a pergunta que não quer calar: quando colocaremos a mão em aparelhos com estas altas taxas de transferência? A especificação do USB4 é esperada para ser formalmente finalizada e publicada no meio de 2019 (quando aparelhos USB 3.2 começarem a ser lançados). Ao mesmo tempo, o padrão USB-C deveria ter também um update para ficar em pé de igualdade com o USB4. Dependendo das fabricantes e o tipo de mercado, o hardware com USB4 deverá rolar até o fim de 2020.

O USB Promoter Group é composto por representantes da Apple, HP, Intel, Microsoft, Renenas Electronics, ST Microelectronics e Texas Instrumentos, então terão grandes nomes por trás do futuro que se aproxima. O grupo ainda tem apoio da organização sem fins lucrativos USB-IF (USP Implementers Forum), que lida com a certificação de aparelhos.

Ainda é necessário confirmar o nome oficial de marketing que você deve ver nas embalagens de produtos — por ora, temos SuperSpeed USB (USB 3.0 ou USB 3.2 Gen 1), SuperSpeed 10 Gbps (USB 3.1 ou USB 3.2 Gen 2) e SuperSpeed 20 Gbps (USB 3.2 Gen 2×2). Não espere que estas convenções de nome vão ficar em algum momento simples — talvez se a USB-IF seguir o bom exemplo da Wi-Fi Alliance.