Quem vê Barry Leitch de perto não diz que ele é uma pessoa famosa. Morador de uma pequena cidade de pouco mais de 8 mil habitantes chamada Bryan, no interior do Ohio, nos EUA, foi só quando visitou recentemente o Brasil que ele se viu sendo tratado como uma celebridade. “É uma loucura, é como se eu fosse um rock star”, dizia em um sotaque que entregava a origem escocesa.

Como a pirataria ajudou a criar a cultura de games no Brasil
Mega Drive vai voltar às lojas do Brasil com entrada de cartuchos e 22 jogos na memória

Leitch tinha acabado de fazer uma sessão de autógrafos e fotos com os fãs – pessoas que ouviam suas músicas quando jogavam Super Nintendo na infância, porque, se o nome ainda não soa familiar, as músicas que ele criou certamente ainda ecoam na memória.

Sim, Barry Leitch é o responsável pela clássica trilha sonora do mais clássico ainda Top Gear. Há pouco tempo ele também voltou a chamar a atenção ao compor as músicas para o jogo brasileiro Horizon Chase, considerado o sucessor espiritual do game de corrida.

O compositor veio ao Brasil para participar dos shows da Video Games Live (VGL) em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, que contaram com uma seção especial dedicada ao clássico de Super Nintendo. Além disso, Leitch foi atração de um pocket show em São Paulo junto com a banda MegaDriver, famosa por tocar covers de jogos retrô. Foi lá que batemos um papo com ele para saber como foi criar uma das trilhas mais icônicas da era 16-bits.

Corrida de uma semana

Top Gear foi feito pela desenvolvedora britânica Gremlin Graphics em 1992. Na época eles eram um dos maiores estúdios do Reino Unido. Porém, eram mais conhecidos por jogos para computadores pessoais como Commodore Amiga e MSX, famosos na Europa. Top Gear foi um dos primeiros projetos para o então todo poderoso console 16-bits da Nintendo.

“Eles falaram: ‘você tem uma semana pra fazer as músicas’”, relembra Leitch. “Eu nunca tinha trabalhado com um Super Nintendo antes, aí eu abri o manual e estava tudo em chinês!”. O compositor ficou os dois primeiros dias fazendo muito mais um trabalho de programação, mexendo no código fonte do console, do que realmente compondo. Esse esforço resultou em uma única música, a famosa Mad Racer (ou o tema de Las Vegas), que está no vídeo no início do post.

Com só mais três dias restantes para completar a trilha e com dificuldades de trabalhar com o hardware do Super Nintendo, que tinham incríveis oito canais de áudio, Leitch diz que teve que apelar e usou o nosso famoso jeitinho brasileiro. “Como eu tinha escrito as músicas para o Lotus e Lotus 2, eu as converti rapidamente para o Super Nintendo”, revela.

Lotus Turbo Challenge era uma série de jogos de corrida desenvolvida também pela Gremlin para Commodore Amiga e chegou a ser lançada algum tempo depois no Mega Drive. Leitch foi chamado para fazer a trilha de Top Gear muito por causa do seu trabalho nesses jogos. Comparando a trilha de ambos, é possível ver nitidamente as semelhanças nas músicas. “São os mesmos sons [de Lotus e Top Gear], só adicionei alguns arpejos”, admite o compositor.

Não só a trilha sonora, mas a jogabilidade de Lotus e Top Gear se assemelham muito, fazendo com que o jogo do Super Nintendo seja mais uma versão melhorada e com outro nome. Ainda assim, por causa do tempo insano de uma semana para criar as músicas, não dá para culpa Leitch de ter que plagiar a si mesmo e, independente disso, a trilha continua excelente.
Legado

Barry_Leitch_Brasil

Barry Leitch trabalhou somente na trilha do primeiro Top Gear, que teve mais dois jogos no Super Nintendo. Ele chegou a voltar para a série anos depois com o não tão clássico assim Top Gear Rally, de Nintendo 64. Na época, Leitch já tinha se mudado do Reino Unido para os EUA e, por essa transição em sua vida pessoal, ele diz que a oportunidade de voltar a compor para o jogo foi mais gratificante.

Com os remixes, sem ter só uma semana para concluir tudo e ainda com tecnologia melhor para compor, Top Gear Rally acabou ganhando uma trilha com pegada bem mais eletrônica.

Porém, o que ele vê como a verdadeira continuação de seu trabalho em Top Gear é a trilha composta para o jogo Horizon Chase, do estúdio gaúcho Aquiris. Quando foi convidado para compor para o jogo, Leitch já sabia da popularidade que as suas músicas tinham aqui no país e visto os mais variados tipos de cover que são encontrados no YouTube, o que foi importante para ele aceitar o trabalho.

“Eu pude continuar de onde parei mais de 20 anos atrás”, declara. “O que está em Top Gear era o melhor que conseguia na época, não podia colocar um som de guitarra de verdade, por exemplo, mas com Horizon Chase eu pude adicionar todas essas coisas”.

Na semana em que ficou no Brasil, Barry Leitch pode ver e sentir de perto o quanto a música dele foi importante para muitos jogadores. O que tinha sido apenas mais uma semana de trabalho para ele em 1992, em que só queria “voltar pra casa e dormir”, acabou virando o seu maior legado mais de 20 anos depois.