A primeira grande descoberta de um novo local de escavação em Pompeia, cidade do Império Romano, é, na verdade, algo que parece ter saído de um filme de catástrofes naturais.

O Monte Vesúvio de Pompeia entrou em erupção no ano 79 d.C. O episódio ficou famoso por ter matado as vítimas instantaneamente, o que as deixou paralisadas na posição em que estavam. As novas escavações na chamada área “Cuneo” produziram outra cena surpreendente.

• Descoberta impressionante mostra que humanos antigos já caçavam rinocerontes há 700 mil anos
• Este homem italiano da Idade Média substituiu sua mão amputada com uma faca

Um morador, provavelmente um homem de cerca de 30 anos, conseguiu sobreviver aos primeiros momentos da erupção e estava andando sobre uma espessa camada de pequenas pedras, chamada lapilli, quando uma pedra gigante caiu sobre o seu tronco e cabeça.

Seu esqueleto foi encontrado um pouco acima da camada de lapilli vulcânico. É provável que o indivíduo estivesse procurando abrigo à medida que a erupção avançava, de acordo com os cientistas que trabalham no Parque Arqueológico de Pompeia.

Imagem: Pompeii Archaeological Park

De fato, não foi a lava do vulcão que matou as pessoas em Pompeia. Na verdade, foi o fluxo piroclástico – uma nuvem densa e veloz de gás quente e de fragmentos.

Neste caso, com a continuação da erupção, houve uma forte explosão que deve ter desalojado o batente de uma porta, que atingiu o homem no momento em que ele se virou para ver a nuvem que se aproximava. Pode ser que o impacto da explosão tenha o feito cair e então a rocha o atingiu logo depois. De qualquer maneira, foi uma morte brutal.

Além de lesão, a análise do esqueleto mostra que o homem sofreu uma infecção óssea, o que provavelmente já dificultava a sua fuga.

Em um comunicado enviado à imprensa, Massimo Osanna, diretor geral do Parque Arqueológico de Pompeia, descreveu o evento como uma “descoberta excepcional”, e que afirmou se tratar de “restos mortais de um indivíduo manco, que provavelmente não conseguiu escapar por causa de suas dificuldades motoras”.

Os arqueólogos ainda não descobriram a localização do crânio do homem. O tamanho e a orientação da pedra sugerem que o homem foi decapitado e que o crânio foi empurrado para dentro do solo. Escavações futuras podem revelar os restos da cabeça decapitada debaixo da base da pedra.

[Pompeii Archaeological Park]

Imagem do topo: Pompeii Archaeological Park