O Observatório Europeu do Sul (ESO) completou 50 anos. Para comemorar, algumas das mais belas fotos já capturadas pelos seus telescópios gigantescos foram divulgadas. Conheça um pouco da história e veja as imagens abaixo:

A ESO é uma organização intergovernamental de pesquisa em astronomia. A princípio, o objetivo era instalar observatórios no hemisfério Sul, o que ampliaria o conhecimento e permitiria a visualização de coisas novas, como as Nuvens Magelânicas. Em 1962, astrônomos da Bélgica, França, Alemanha, Holanda e Suécia uniram esforços para tornar isto possível.

Em 2012, 50 anos depois, 15 países se juntaram a ESO. O Brasil, inclusive, entrou para o time em 2010, sendo o primeiro país fora da Europa a participar. Atualmente a organização conta com aproximadamente 700 funcionários espalhados entre a Bélgica, Alemanha, França, Holanda, Suécia, Suíça, Itália, Portugal, Reino Unido, Finlândia, Espanha, República Tcheca, Áustria e Brasil.

Os astrônomos contam com oito telescópios espalhados pelo hemisfério sul, como os gigantescos  Very Large Telescope e o Atacama Large Millimeter Array (ALMA), localizados no Chile.

Caso você goste de astronomia, vale a pena visitar os observatórios brasileiros. Alguns exemplos são os observatórios Abrahão de Moraes e o Observatório Municipal de Diadema em São Paulo ou o CEAMIG e o Observatório Astronômico Monoceros em Minas Gerais. Além disso, você pode viajar para o interior, de preferência em um dia sem nuvens. Com menos iluminação nas cidades do interior, é possível observar um céu repleto de estrelas. Caso você precise de um guia, você pode utilizar alguns sites como o Apolo11.com, que mostra o mapa do céu de sua cidade – basta clicar em “Ver Planetário” depois que escolher o local.

Via Láctea e ALMA. Bela foto, feita no deserto do Atacama.

Se você não se importar com o clima seco, vale a pena planejar uma viagem ao Chile e conhecer o ALMA, no deserto do Atacama. Mas, atenção. O ALMA está em reformas e só abrirá para o público no primeiro semestre de 2013.

Enquanto o passeio para o observatório mais próximo ainda está em planejamento, sugiro que deem uma olhada em algumas das mais belas fotografias feitas pela ESO nestes 50 anos.


Esta vista infravermelha da Nebulosa de Órion está em primeiro lugar no TOP 100 da ESO. Esta Nebulosa é uma das poucas que podem ser vistas a olho nu.


Com 370 milhões de pixels, esta foto mostra detalhes da Nebulosa da Lagoa, que costuma ser pálida demais para ser vista sem uso de aparelhos especiais. De qualquer maneira, se fosse possível enxergar a Nebulosa, você veria algo 8 vezes maior que a Lua cheia!


Com poeira e gás girando em torno dos centros de formação de estrelas, esta é a Nebulosa Carina. Você está admirando a foto mais detalhada que já foi tirada desta Nebulosa, que só pode ser vista do Hemisfério Sul.


Incrível foto da Via Láctea brilhando sobre o Observatório La Silla, em Paranal.


Tirada em 2009, esta imagem ainda está no TOP 3 das fotos mais bonitas da ESO. Nela, você pode observar altas concentrações de oxigênio, que brilham em azul devido a quantidade de radiação ultravioleta vindo da estrela central. A cor vermelha vem dos átomos de hidrogênio e nitrogênio e, como bônus, você pode ver algumas galáxias remotas ao fundo.


Esta imagem foi tirada no mesmo dia do 50º aniversário da ESO. Este belo presente mostra a Nebulosa Elmo de Thor. A bolha cósmica é uma maternidade estelar na constelação do Cão Maior


A estranha galáxia Centaurus A


Para ver as 100 melhores fotos entre no site da ESO.

[Via WiredScience]