Um mergulhador amador que saiu para uma passeio submarino despretensioso no fim de semana encontrou uma espada de ferro que data da época das Cruzadas.

O israelense Shlomi Katzin encontrou o artefato perto de Haifa, Israel, no sábado, 16 de outubro, de acordo com um comunicado divulgado pela Autoridade de Antiguidades de Israel (AAI) em sua página do Facebook.

Conforme relata a Associated Press, Katzin estava a cerca de 150 metros da costa e nadando a uma profundidade de 5 metros quando percebeu um tesouro no fundo do oceano. Ali haviam âncoras, fragmentos de cerâmica e a tal espada — com um metro de comprimento e cabo de 30 centímetros.

Temendo que a areia do leito do oceano pudesse enterrar novamente a espada, Katzin trouxe o artefato para a costa e entrou em contato com especialistas locais.

O mergulhador Shlomi Katzin segurando a espada que encontrou. Imagem: Autoridade de Antiguidades de Israel

“A espada de ferro foi preservada em perfeitas condições e é um achado lindo e raro”, disse Nir Distelfeld, inspetor da Autoridade de Antiguidades de Israel, no comunicado. “Evidentemente, pertencia a um cavaleiro das Cruzadas. É emocionante encontrar um objeto que leva você 900 anos de volta no tempo para uma era diferente, com cavaleiros, armaduras e espadas.”

 

 

 

As Cruzadas começaram no final do século 11, quando os cristãos da Europa tentaram tirar o controle de Jerusalém e de outras partes da Terra Santa do domínio islâmico. Essas guerras religiosas, em parte uma reação aos séculos anteriores de expansão muçulmana no Oriente Médio e na Europa, duraram até 1291 d.C.

Kobi Sharvit, diretor da Unidade de Arqueologia Marinha da AAI, disse que a espada foi encontrada perto do castelo Atlit — uma fortaleza dos cruzados. Além do mais, esta área já foi um refúgio seguro para navios durante o tempo agitado e, é conhecida por produzir itens de importância arqueológica. A maioria desses artefatos está enterrada, mas as ondas do mar e correntes subterrâneas ocasionalmente expõem alguns desses itens.

Jacob Sharvit segurando a espada. Imagem: Ariel Schalit (AP)

“Os achados arqueológicos no local mostram que ele serviu como uma pequena doca temporária para os navios que buscavam abrigo”, explicou Sharvit no comunicado. Os vários itens encontrados no local “mostram que o ‘porto’ foi usado já no final da Idade do Bronze, quatro mil anos atrás”, disse ele, acrescentando que “a recente descoberta da espada sugere que a enseada natural também foi usada em o período das Cruzadas, cerca de 900 anos atrás.”

Como relata a CNN, a espada de ferro pesa algo entre um e dois quilos, mas os arqueólogos não saberão com certeza até que removam os organismos marinhos, rochas e conchas que estão presos ao artefato.

Assine a newsletter do Gizmodo

Ainda assim, a espada é bem grande. “Isso significa que o cara que empunhava a espada e lutava com ela era muito forte. Estou tentando imaginá-lo em campo de batalha”, disse Sharvit à BBC. “Ele realmente deveria estar em boa forma, talvez eles fossem maiores do que um homem de hoje — e definitivamente mais fortes.”

Depois de limpa e analisada, a espada será exposta ao público. Quanto a Katzin, ele recebeu um certificado de reconhecimento por seu ato de grande importância arqueológica.