Isto não é um papel de parede com design dos anos 70, nem uma imagem bem de perto do Sol. Entre todos os pontos na cor laranja, há uma área escura: esta é a primeira imagem já feita da sombra de um átomo.

Este avanço é muito importante. Mas por que obter a sombra de um átomo? Os pesquisadores explicam que a técnica poderia ser usada para criar imagens de alta precisão do corpo humano. Por exemplo, desta forma é possível observar amostras de DNA ou células sem danificá-las: basta usar a luz.

Capturada na Universidade Griffith, Austrália, a imagem foi obtida usando-se uma armadilha de íons personalizada. Ao prender o átomo nela e lançar luz com o comprimento de onda certo, acaba-se gerando uma sombra do átomo – só que ela é bem pequena.

Para facilitar, os cientistas usaram um átomo grande – o yttérbio, com massa atômica 174 – e o resfriaram a -273°C para mantê-lo estável. Então eles o iluminaram e capturaram a sombra resultante usando uma lente de Fresnel. O processo parece relativamente simples, mas como poucos têm uma armadilha de íons tão precisa – e pequena – quanto estes cientistas, ninguém havia capturado a sombra de um só átomo antes. [Cosmos]

Imagem por Centre for Quantum Dynamics